a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
16

Oração de um convertido

161Salmo da coleção de David.

Protege-me, ó Deus, porque em ti confio.

2Eu disse: «Ó Senhor, tu és o meu Deus,

todo o meu bem e não há nada acima de ti.»

3Quanto aos deuses que havia no país,

às divindades que eu estimava,

4que as suas desgraças se multipliquem

e que eles desapareçam.

Eu não lhes farei ofertas de vinho,

nem sequer pronunciarei os seus nomes.

5Senhor, tu és a porção da minha herança;

e o meu cálice está nas tuas mãos.

6Agradável é o lugar que me calhou em partilha

e preciosa é a herança que me coube.

7Louvarei o Senhor, porque ele me orienta;

até durante a noite a minha consciência me adverte.

8Tenho sempre o Senhor diante dos meus olhos;

com ele à minha direita16,8 O lado direito era considerado como o mais favorável; o defensor colocava-se sempre à direita do acusado. Ver 109,31; 110,5., jamais vacilarei.

9Por isso, o meu coração se alegra,

a minha alma rejubila

e o meu corpo repousa tranquilo.

10Pois tu não me entregarás ao poder da morte,

não abandonarás na sepultura aquele que amas16,10 Versículo citado em At 13,35, segundo a antiga tradução grega..

11hás de mostrar-me o caminho que conduz à vida,

saciar-me de alegria na tua presença

e de eterna felicidade a teu lado16,11 Ou: à tua direita. A direita era também o lugar de honra. Ver 45,10; 110,1. Os v. 8–11 são citados em At 2,25–28..

17

Oração de uma pessoa inocente

171Oração de David.

Escuta, Senhor, o meu pedido de justiça,

atende ao meu clamor!

Escuta a minha oração, que não sai de lábios mentirosos.

2Tu julgarás a meu favor,

porque tu sabes o que é justo.

3Prescruta o meu coração,

procura-me de noite e examina-me,

e não encontrarás maldade nos meus pensamentos;

nem por palavras eu transgredi.

4Não pratiquei o mal como os outros homens;

afastei-me dos caminhos da violência,

de acordo com os teus preceitos.

5Dirige os meus passos pelo teu caminho,

para que não me afaste dele.

6A ti elevo a minha voz, ó Deus, responde-me;

dá ouvidos ao que eu digo, escuta as minhas palavras.

7Revela-nos o teu grande amor,

tu, que salvas dos inimigos,

os que buscam proteção junto de ti17,7 Ou: à tua direita. Ver nota a 16,8..

8Guarda-me, como a pupila dos teus olhos;

esconde-me à sombra das tuas asas17,8 Ver 36,8; 61,5; 63,8.,

9defendendo-me dos maus que me oprimem,

dos inimigos mortais que me rodeiam.

10Eles não têm compaixão de ninguém

e as suas palavras são arrogantes.

11Seguem os meus passos17,11 Literalmente: os nossos passos. e cercam-me,

procurando deitar-me por terra.

12Parecem leões em busca da presa

a espreitar dos seus esconderijos.

13Ergue-te, Senhor! Enfrenta-os, derruba-os!

Livra-me dos malvados com a tua espada;

14tira-lhes a vida, Senhor, com o teu poder17,14 Ou: livre-me a tua mão destes simples mortais,

faz com que eles desapareçam deste mundo.

Mas aos teus protegidos enche-os de abundância,

que chegue para saciar os seus filhos

e ainda sobre para os seus netos.

15Eu, porém, no dia da justiça, poderei contemplar-te;

e ao despertar ficarei satisfeito com a tua presença.

18

Cântico de vitória

(2 Samuel 22,1–51)

181Ao diretor do coro. David, servo do Senhor, dirigiu a Deus este cântico, no dia em que o Senhor o livrou de cair nas mãos de Saul e de todos os seus inimigos. E disse então:

2Como eu te amo, Senhor, tu que és a minha força.

3O Senhor é a minha rocha, fortaleza e proteção;

o meu Deus é o abrigo em que me refugio.

Ele é o meu escudo, a minha defesa, o meu castelo.

4Invoco o Senhor, que é digno de louvor;

é ele que me salva dos meus inimigos.

5A morte cercou-me com os seus laços

e as vagas destruidoras encheram-me de medo;

6o poder da morte envolveu-me com os seus laços

e preparou-me armadilhas fatais.

7Na minha angústia invoquei o Senhor,

pedi ajuda ao meu Deus.

Do seu santuário ele escuta a minha voz,

o meu clamor chega aos seus ouvidos.

8Houve então um forte tremor de terra,

as bases dos montes estremeceram:

foram sacudidas pela ira do Senhor.

9Saía fumo das suas narinas

e da sua boca um fogo destruidor;

dele saíam como que carvões acesos.

10Ele rasgou os céus e desceu

com densas nuvens debaixo dos seus pés.

11Voa, montado num querubim,

transportado nas asas do vento.

12Ocultou-se no meio das trevas

e cercou-se de espessas nuvens, carregadas de água.

13Da sua presença saía um fulgor,

que trasformou as nuvens em granizo e brasas.

14Do céu, o Senhor fez ecoar o trovão,

o Altíssimo fez ouvir a sua voz18,14 O texto hebraico repete aqui a segunda linha do v. 13..

15Ele arremessou as suas flechas e dispersou os inimigos,

pô-los todos em fuga lançando os seus relâmpagos18,15 Ou: Ele arremessou as suas flechas e em todas as direções, e os seus relâmpagos em todos os sentidos..

16O fundo do mar ficou descoberto

e as profundezas da terra ficaram à vista,

perante a tua voz ameaçadora, ó Senhor,

e o sopro impetuoso que lançaste.

17O Senhor lá do alto estendeu a sua mão e agarrou-me,

tirou-me das águas profundas.

18Livrou-me de inimigos poderosos,

de adversários mais fortes do que eu.

19Atacaram-me, quando eu estava em aflição,

mas o Senhor deu-me o seu apoio.

20Levou-me para longe do perigo,

libertou-me, porque me quer bem.

21O Senhor recompensou-me pela minha retidão,

retribuiu-me pela honestidade do meu comportamento,

22porque segui os caminhos do Senhor

e nunca reneguei o meu Deus.

23Sempre tive presentes todas as suas leis

e nunca rejeitei os seus mandamentos.

24Tenho sido sincero perante ele

e afastei-me das minhas culpas.

25O Senhor recompensou-me pela minha retidão

e pelo meu comportamento honesto diante dele.

26Tu, Senhor, és fiel18,26 O termo hebraico traduzido aqui por fiel significa também “bondoso”, “piedoso”, “generoso”. ao que te é fiel,

és sincero com o que te é sincero.

27És reto com os que são retos

e astuto com os mal-intencionados.

28Tu salvas os que são humildes

e humilhas os que são orgulhosos.

29Ó Senhor, tu manténs acesa a minha luz,

ó meu Deus, és tu que alumias as minhas trevas.

30Com a tua ajuda atacarei os meus inimigos;

e pelo meu Deus saltarei muralhas.

31Os caminhos de Deus são perfeitos

e as promessas do Senhor são dignas de confiança.

Deus protege os que nele confiam.

32Quem é Deus, além do Senhor?

Quem é um rochedo, além do nosso Deus?

33É ele o Deus que me torna forte

e torna perfeito o meu caminho.

34Ele dá aos meus pés a ligeireza do veado

e faz-me andar seguro nas montanhas.

35Ele exercita-me para a batalha

e põe nas minhas mãos um arco de bronze.

36Ó Senhor, tu dás-me o escudo da tua proteção,

amparas-me com a tua mão direita

e a tua bondade fez-me prosperar18,36 Ou: Tu respondes aos meus apelos e fazes-me forte..

37Deste-me largueza para caminhar

e os meus pés não vacilaram.

38Persegui os meus inimigos e alcancei-os;

não desisti sem os ter destruído.

39Fi-los em pedaços; já não se levantaram.

Caíram debaixo dos meus pés.

40Tu deste-me força para combater;

fizeste inclinar diante de mim os meus adversários.

41Tu fazes com que eu vença os meus inimigos18,41 Ou: Tu pões em fuga diante de mim os meus inimigos.;

destruirei aqueles que me odeiam.

42Pedem socorro, mas ninguém lhes acode;

invocam o Senhor, mas ele não responde.

43Eu pisei-os como ao pó do chão,

calquei-os como à lama das ruas.

44Livraste-me das contendas de um povo

e fizeste-me governante de nações;

povos desconhecidos me servirão.

45Os estrangeiros submetem-se a mim

e prontamente me obedecem.

46Eles perdem a coragem

e saem a tremer dos seus refúgios.

47Viva o Senhor! Bendito seja o meu protetor!

Louvado seja Deus, meu salvador!

48Ele é o Deus que me torna vitorioso,

que submete os povos ao meu poder

49e me livra dos meus inimigos.

Tu colocas-me acima dos meus inimigos

e livras-me dos que são violentos.

50Por isso, te louvarei, Senhor, entre as nações

e cantarei hinos ao teu nome18,50 Ver Rm 15,9..

51Deus concede grandes vitórias ao seu rei

e mostra constante amor ao seu ungido18,51 Ou: àquele que escolheu. Ver 2,2 e nota.,

a David e aos seus descendentes para sempre.