a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
27

Confiança em Deus

271Da coleção de David.

O Senhor é a minha luz e salvação.

De quem poderei ter medo?

O Senhor defende a minha vida.

Quem me poderá assustar?

2Quando os malvados me atacam e tentam matar-me,

são eles, os meus inimigos, que tropeçam e caem.

3Ainda que um exército me cerque,

não terei medo nenhum;

mesmo que se declare guerra contra mim,

manter-me-ei confiante.

4Uma só coisa pedi ao Senhor,

uma coisa que ardentemente desejo:

viver no templo do Senhor toda a minha vida,

para sentir o encanto do Senhor

e poder contemplar o seu templo.

5Quando chegarem os dias maus, ele abrigar-me-á;

ele manter-me-á em segurança no seu santuário;

pôr-me-á a salvo sobre uma rocha.

6Poderei então levantar a cabeça

por cima dos meus inimigos;

poderei oferecer sacrifícios no templo,

gritar de alegria e cantar hinos ao Senhor.

7Ouve-me, Senhor, quando eu te invoco;

tem compaixão de mim e responde-me!

8O meu coração suspira por ti, Senhor,

os meus olhos te buscam27,8 Ou: Anda, disse-me o coração, procura o Senhor. Eu ando à tua procura..

9Não desvies de mim o teu olhar! Não te zangues comigo!

Tu és o meu único auxílio! Não me abandones.

Não me desampares, ó Deus, meu salvador.

10Ainda que o meu pai e a minha mãe me abandonem,

o Senhor tomará conta de mim.

11Ensina-me, Senhor, o que queres que eu faça

e guia-me pelo caminho reto,

porque tenho muitos inimigos.

12Não me entregues aos meus inimigos,

que me atacam com mentiras e me fazem ameaças.

13Eu, porém, creio firmemente chegar a contemplar

a bondade do Senhor na terra dos vivos.

14Confia no Senhor!

Sê forte e corajoso e confia no Senhor!

28

Súplica e ação de graças

281Da coleção de David.

Clamo a ti, Senhor, meu rochedo;

não fiques surdo à minha súplica.

Se tu não me atenderes,

serei como os que descem à sepultura.

2Escuta as minhas súplicas, quando te invoco,

quando elevo as minhas mãos para o teu santuário28,2 Elevar as mãos era um gesto suplicante que acompanhava as orações, no antigo Israel. Ver 63,5; 134,2..

3Não me arrastes com os malfeitores,

com aqueles que praticam o mal;

eles falam de paz ao seu próximo,

mas levam maldade nos seus corações.

4Recompensa-os segundo as suas obras,

segundo a maldade dos seus atos.

Retribui-lhes conforme as suas más ações;

dá-lhes o que eles merecem.

5Eles não fazem caso daquilo que o Senhor fez,

nem reparam nas suas grandes obras;

por isso, ele os destruirá

e não voltará a restabelecê-los.

6Bendito seja o Senhor, pois ouviu as minhas súplicas.

7O Senhor é o meu poderoso protetor;

nele confiei plenamente e ele socorreu-me,

por isso me sinto feliz e lhe cantarei louvores.

8O Senhor é o nosso protetor;

ele defende e salva o seu ungido28,8 Ver nota a 2,2..

9Salva o teu povo, Senhor, abençoa os que são teus;

cuida deles como um pastor e guarda-os para sempre.

29

Manifestação de Deus na natureza

291Salmo da coleção de David.

Submetam-se ao Senhor todos os deuses29,1 Ou: filhos de deuses.,

louvem o seu poder e a sua glória.

2Louvem o glorioso nome do Senhor

no esplendor do santuário29,2 Ou: adorem o Senhor quando ele se manifesta..

3A voz do Senhor ressoa sobre as águas;

o Deus glorioso faz ecoar o trovão!

O Senhor ecoa sobre a imensidão das águas.

4A voz do Senhor é poderosa,

a voz do Senhor é cheia de majestade.

5A voz do Senhor quebra os cedros;

o Senhor quebra os cedros do Líbano!

6Ele faz as montanhas do Líbano saltar como novilhos

e faz saltar o monte Hermon como um bezerro.

7A voz do Senhor produz labaredas de fogo;

8a voz do Senhor faz tremer o deserto;

o Senhor faz tremer o deserto de Cadés!

9A voz do Senhor faz abortar as gazelas

e faz cair as folhas às árvores do bosque.

No seu templo todos exclamam: «Glória a Deus!»

10O Senhor é rei desde antes do dilúvio;

o Senhor governa como rei eternamente!

11O Senhor dá força ao seu povo;

o Senhor abençoa o seu povo com a paz.