a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
36

Maldade do homem, bondade de Deus

361Ao diretor do coro. Salmo da coleção de David, servo do Senhor.

2Há um pronúncio de pecado no coração do homem mau;

para ele, não há temor de Deus.

3Ele lisonjeia-se demasiado a si próprio,

para achar odioso o seu pecado.

4Fala com malícia e com mentiras;

deixou de entender e de fazer o bem.

5Quando está deitado, projeta fazer mal;

o caminho que segue não é bom;

não quer renunciar à maldade.

6Mas a tua misericórdia, Senhor, chega até ao céu;

a tua fidelidade alcança o infinito.

7A tua justiça é grande como as montanhas;

os teus decretos são profundos como o mar.

Tu, Senhor, cuidas tanto dos homens como dos animais.

8Que maravilhoso, ó Deus, é o teu amor!

Debaixo das tuas asas, os humanos sentem-se protegidos36,8 Ver 17,8 e nota..

9Ficam satisfeitos com a abundância da tua casa

e o rio das tuas delícias lhes mata a sede.

10Pois em ti está a fonte da vida

e é na tua luz que vemos a luz.

11Estende o teu amor sobre os que te conhecem

e a tua justiça sobre os retos de coração.

12Não permitas que os soberbos me pisem

ou que os malvados me deitem por terra.

13Repara como caem os malfeitores,

derrubados para não mais se levantarem.

37

Destino dos maus e dos bons

371Salmo da coleção de David.

Não37,1 Salmo alfabético. Ver nota a 9,2. te irrites por causa dos malfeitores,

nem tenhas inveja dos que procedem mal,

2porque cedo serão ceifados como o feno

e como a erva verde murcharão.

3Confia no Senhor e faz o bem;

habita a terra e alimenta-te com a sua abundância.

4Busca a tua felicidade no Senhor

e ele te concederá os desejos do teu coração.

5Põe a tua vida nas mãos do Senhor,

confia nele e ele te ajudará.

6Ele fará brilhar a tua retidão e a tua justiça

como o Sol brilha ao meio-dia.

7Confia no Senhor e põe nele a tua esperança;

não tenhas ciúmes dos que prosperam na vida,

daqueles que vivem de intrigas.

8Reprime a cólera e abandona a indignação;

não te irrites, porque isso só leva ao mal.

9Pois os malfeitores serão exterminados,

mas o Senhor dará a terra

aos que confiam nele.

10Mais um pouco e não haverá malfeitores;

por mais que os procures não voltarás a vê-los.

11Porém os pobres possuirão a terra37,11 Ver Mt 5,5 que segue a antiga tradução grega.

e desfrutarão de grande tranquilidade.

12O malvado conspira contra o homem justo

e range os dentes contra ele,

13mas o Senhor ri-se dele,

pois sabe que os seus dias estão contados.

14Os maus desembaínham a espada e retesam o arco,

para abaterem o pobre e o desvalido,

para matarem os que seguem o bom caminho.

15Mas a sua espada se espetará no seu coração

e o seu arco ficará feito em pedaços.

16Vale mais o pouco que tem o homem justo

do que toda a abundância dos maus37,16 Literalmente: do que a abundância de muitos maus..

17Porque o Senhor quebra a força dos maus,

e apoia os que praticam o bem.

18O Senhor cuida dos que vivem na retidão;

e a sua herança ficará para sempre.

19Quando os tempos são maus, não serão envergonhados

e terão suficiente comida, quando houver fome.

20Os maus desaparecerão;

os inimigos do Senhor arderão como erva seca37,20 Ou: como gordura de carneiros.

e se dissiparão como fumo.

21Os maus pedem emprestado e não pagam,

mas o justo é compassivo e empresta.

22Os que Deus abençoa possuirão a terra;

mas os que ele amaldiçoa serão destruídos.

23O Senhor mostra aos homens o seu caminho

e protege aqueles que lhe agradam.

24Mesmo que caiam, não ficarão por terra,

porque o Senhor lhes estenderá a mão.

25Fui jovem e agora sou velho,

e nunca vi o justo desamparado,

nem os seus filhos a pedir esmola.

26Sempre o vi generoso e amigo de dar;

e a sua descendência será abençoada.

27Afasta-te do mal e pratica o bem

e viverás sempre em segurança,

28pois o Senhor julga com justiça

e não abandona os que lhe são fiéis.

Ele protege-os para sempre,

mas a geração dos maus será destruída.

29Os justos possuirão a terra,

e eles viverão nela para sempre.

30As palavras do justo são sábias;

ele fala sempre com retidão.

31Ele traz no coração a lei de Deus,

por isso os seus passos são firmes.

32O malvado espia o homem obediente

e procura a maneira de o matar;

33mas o Senhor não deixará que ele caia nas suas mãos,

nem deixará que o declarem culpado no tribunal.

34Confia no Senhor e segue os seus caminhos

que ele te honrará, dando-te esta terra por herança;

e verás então os maus serem destruídos.

35Vi uma vez um malvado, cheio de soberba,

que se expandia como uma árvore frondosa;

36mas desapareceu: já não existe;

procurei-o e não consegui encontrá-lo.

37Repara no homem honrado, observa o homem reto;

o futuro desse homem é de paz.

38Mas os transgressores serão todos destruídos;

a descendência dos maus será exterminada.

39O auxílio dos homens obedientes vem do Senhor,

que é o seu refúgio nos tempos difíceis.

40O Senhor os ajuda e os livra;

ele defende-os dos maus e salva-os,

porque confiam nele.

38

Oração de um homem que sofre

381Salmo da coleção de David. Para que Deus se lembre.

2Senhor, não me repreendas com a tua ira,

nem me castigues com o teu furor38,2 Ver 6,2..

3Feriste-me com as tuas setas

e atiraste-me por terra.

4No meu corpo, não ficou nada são;

dos meus ossos não ficou nenhum inteiro,

por causa da tua ira,

por causa das minhas culpas.

5Estou afogado no mar dos meus pecados;

eles são carga pesada demais para mim.

6As minhas chagas são fétidas e purulentas,

por causa da minha loucura.

7Ando cabisbaixo e deprimido,

caminho todo o dia na tristeza.

8Estou a arder de febre;

tenho todo o corpo doente!

9Estou fraco e muito quebrado;

grito alto as queixas do meu coração!

10Senhor, tu conheces todos os meus desejos;

os meus suspiros não são segredo para ti!

11O meu coração palpita muito; faltam-me as forças.

Até a luz dos olhos, infelizmente, me falta.

12Os meus amigos e companheiros

afastam-se da minha desgraça;

os meus parentes conservam-se à distância.

13Os que me querem matar preparam-me armadilhas;

pronunciam insultos os que querem o meu mal;

a toda a hora maquinam traições.

14Eu, porém, faço-me surdo e não dou ouvidos;

faço-me mudo e não abro a boca.

15Sou como aquele que não ouve,

e não pode falar em sua defesa.

16Pois eu confio em ti, Senhor,

e tu me respondes, Senhor, meu Deus.

17Uma coisa te peço:

não permitas que se riam da minha desgraça;

não deixes que zombem vitoriosos da minha queda.

18Na verdade, estou prestes a tropeçar;

a minha dor não me larga um momento.

19Vou confessar os meus pecados,

porque eles enchem-me de inquietação.

20Os meus inimigos mortais são poderosos;

são muitos os que me odeiam sem razão.

21Eles pagam-me o bem com o mal e voltam-se contra mim,

quando eu procuro fazer o bem.

22Senhor, não me desampares!

Meu Deus, não te afastes de mim!

23Vem depressa em meu auxílio, Senhor, meu salvador!