a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
47

Deus é rei de toda a terra

471Ao diretor do coro. Salmo da coleção dos descendentes de Corá.

2Batam palmas, povos de todo o mundo!

Aclamem a Deus com cânticos de alegria!

3O mundo inteiro treme diante do Senhor, o Altíssimo;

ele é o grande rei de toda a terra.

4Ele submeteu os povos ao nosso poder,

as nações ao nosso domínio.

5Ele escolhe a terra de herança,

que é o orgulho do povo que ele ama47,5 Literalmente: que é o orgulho de Jacob, que ele ama. Cf. 135,4..

6Deus, o Senhor, subiu ao seu trono

entre gritos de alegria e toques de trombeta!

7Cantem hinos! Cantem ao nosso Deus!

Cantem hinos em louvor do nosso rei!

8Deus é o rei de toda a terra!

Cantem-lhe louvores com toda a arte!

9Deus senta-se no seu santo trono

e reina sobre as nações.

10Os governantes dos povos reúnem-se

com o povo do Deus de Abraão.

Pois dependem de Deus os soberanos do mundo;

ele está acima de tudo!

48

Sião, a cidade de Deus

481Cântico. Salmo da coleção dos descendentes de Corá.

2O Senhor é grande e digno de louvor

na cidade do nosso Deus, no seu santo monte48,2 Ver 2,6.!

3Sião, o mais belo dos montes,

alegria de toda a terra,

é o verdadeiro monte de Deus48,3 Literalmente: o monte de Sião é o cimo do monte Safon, montanha mítica de Canaã situada ao norte da cidade de Ugarit.,

a cidade do grande rei.

4Deus, que está nas suas fortalezas,

deu-se a conhecer como um refúgio seguro.

5Os reis coligaram-se e juntos atacaram a cidade,

6mas ao vê-la surpreenderam-se,

ficaram perturbados e fugiram a correr.

7O medo apoderou-se deles

e sentiram dores parecidas com dores de parto;

8era como o vento leste, que destroça as naus de Társis.

9Ouvimos falar do que Deus tinha feito;

mas agora vimo-lo com os nossos olhos

na cidade do nosso Deus, o Senhor do Universo.

Deus fortalecerá a sua cidade para sempre!

10Dentro do teu templo, ó Deus,

refletimos sobre o teu amor.

11Tal como o teu nome, ó Deus,

o teu louvor chega aos confins da Terra;

a tua mão direita realiza a justiça.

12Que se alegre o monte Sião!

Exultem de alegria as cidades de Judá,

porque as tuas decisões são justas!

13Caminhem ao redor de Sião

e contem as suas torres;

14reparem bem nas suas muralhas e fortalezas,

para que possam anunciar às gerações futuras:

15«Assim é o nosso Deus, por toda a eternidade.

Ele é o nosso guia para sempre!»

49

A loucura de confiar nas riquezas

491Ao diretor do coro. Salmo da coleção dos descendentes de Corá.

2Oiçam bem isto, povos da terra;

escutem, habitantes do mundo,

3sejam ricos ou pobres, poderosos ou humildes.

4Vou falar-lhes com sabedoria

e expressar-lhes os meus pensamentos mais profundos;

5prestarei atenção ao ensino dos sábios

e explicarei o seu sentido profundo ao som da lira.

6Por que hei de eu temer os dias maus,

quando me cercar a maldade dos meus inimigos?

7Eles confiam nas suas riquezas

e gabam-se de terem muitos bens.

8Infelizmente, ninguém pode resgatar-se a si próprio

nem pagar a Deus o devido preço.

9O resgate de uma vida é muito caro;

todo o dinheiro seria pouco;

10não chegaria para o livrar da morte

e para que vivesse eternamente.

11Repara, que até os sábios morrem,

como morrem os loucos e os estúpidos,

deixando aos outros os seus bens.

12O sepulcro será o seu lugar eterno,

a sua habitação para sempre,

mesmo os que deram o seu nome a terras!

13O homem dependente da riqueza não durará;

como todos os animais, também ele tem que morrer.

14Este é o caminho daqueles que só em si confiam;

o destino dos que se deleitam nas suas palavras.

15Estão condenados a morrer como ovelhas

e a morte será o seu pastor;

cairão nas suas goelas como animais;

a sua força será consumida

e devorada pelo sepulcro.

16Mas Deus há de resgatar a minha vida,

e arrancar-me ao poder da morte.

17Não te preocupes se alguém enriquece,

se aumenta o luxo da sua casa.

18Quando ele morrer nada levará consigo;

a sua fortuna não o acompanhará,

19mesmo que nada lhe tivesse faltado em vida.

Ainda que as pessoas te louvem por seres rico,

20juntar-te-ás na morte aos antepassados,

que não voltarão mais a ver a luz.

21A grandeza de um homem não o salva da morte;

como todos os animais também ele tem que morrer.