a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
57

Oração pedindo auxílio

(Salmos 108,2–6)

571Ao diretor do coro. Poema da coleção de David, recordando a ocasião em que ele se escondeu de Saul numa caverna57,1 Cf. Sl 142,1. Ver 1 Sm 22,1–2; 24,1–9..

2Tem compaixão de mim, ó Deus, tem compaixão,

porque em ti busco proteção.

Quero abrigar-me debaixo das tuas asas,

até que o perigo tenha passado.

3Invocarei Deus, o Altíssimo,

Deus que me dá tudo aquilo de que eu preciso.

4Que ele me envie do céu o seu auxílio

e me salve dos que procuram destruir-me;

que Deus envie o seu amor e a sua verdade.

5Estou rodeado por inimigos,

que são como leões dispostos a devorar seres humanos;

os seus dentes são como lanças e flechas

e a sua língua, como uma espada afiada.

6Ó Deus, mostra nos céus a tua grandeza

e na terra o teu poder!

7Puseram uma armadilha no meu caminho

para me fazerem cair;

cavaram um fosso diante de mim,

mas foram eles que nele caíram.

8O meu coração está decidido, ó Deus,

decidido a cantar-te hinos.

9Ó minha alma, desperta! Despertem harpa e lira!

Quero hoje despertar a aurora!

10Dar-te-ei graças, entre os povos, ó Senhor,

cantar-te-ei salmos entre as nações.

11O teu amor é tão grande que chega até aos céus

e a tua lealdade alcança o infinito.

12Ó Deus, mostra nos céus a tua grandeza

e na terra o teu poder!

58

Oração pedindo justiça

581Ao diretor do coro. Poema da coleção de David.

2Ó governantes, quem dera que tomassem sempre

decisões justas

e julgassem os homens com retidão!

3Mas em vez disso, só forjam falsidades

e abrem no país caminho para a violência.

4Os infiéis extraviaram-se desde que nasceram;

os que falam mentiras erraram desde o princípio.

5O seu veneno é como o das víboras;

fazem-se surdos como as serpentes,

6que não ouvem a música dos encantadores,

dos magos peritos em sortilégios.

7Ó Deus, quebra-lhes os dentes

arranca, Senhor, os queixais a esses leões.

8Sumam-se como a água que se escoa;

quando atirarem flechas que as encontrem quebradas.

9Que eles passem como o caracol a desfazer-se em baba

e como um aborto que não vê a luz.

10Antes que as suas panelas sintam o calor

da lenha verde ou seca,

que um furacão a lance para longe.

11Aquele que é justo alegra-se ao ver-se vingado

e ao participar na completa destruição dos malvados58,11 Ou: no sangue do ímpio lavará os pés.!

12E dir-se-á: «Sim, aquele que é justo tem recompensa!

De facto há um Deus que faz justiça sobre a terra!»

59

Deus dá segurança

591Ao diretor do coro. Como «Não destruas». Poema da coleção de David. Recordando a ocasião em que Saul mandou cercar a sua casa para o matar59,1 Ver 1 Sm 19,11–13..

2Meu Deus, livra-me dos meus inimigos;

protege-me dos que avançam contra mim.

3Livra-me dos malfeitores

e salva-me dos homens sanguinários.

4Ó Senhor, repara como armam emboscadas

contra a minha vida;

conspiram contra mim os poderosos,

sem que eu tenha cometido nenhuma transgressão.

5Sem eu ter feito mal, agitam-se e preparam-se.

Repara, Senhor! Desperta e vem em meu auxílio!

6Tu, Senhor, Deus todo-poderoso, Deus de Israel,

desperta e castiga toda esta gente;

não tenhas compaixão desses traidores.

7Regressam pela tarde e percorrem a cidade,

ladrando como cães.

8As suas palavras ferem como espadas

e dizem, a gritar, em tom feroz:

«Quem é que nos ouve?»

9Mas tu, Senhor, vais rir-te deles;

farás troça de toda esta gente.

10Em ti estarei protegido, meu Deus,

pois tu és a minha fortaleza e proteção.

11Deus, que me ama, virá ao meu encontro

e me fará ver a derrota dos meus inimigos.

12Ó Deus, mata-os,

para que o meu povo não se esqueça;

desbarata-os e humilha-os com o teu poder.

Senhor, tu és o nosso protetor!

13Eles pecam em tudo o que dizem;

que sejam vítimas do seu próprio orgulho

e das suas maldições e mentiras!

14Extermina-os, consome-os na tua ira,

de modo que deixem de existir

e saibam que Deus reina em Israel59,14 Literalmente: Jacob.

e que o seu reino abrange toda a terra!

15Regressam pela tarde e percorrem a cidade,

ladrando como cães.

16Vagueiam à procura de comida

e, se não se fartam, rondam durante a noite59,16 Ou: e, se não se fartam, põem-se a uivar..

17Eu, porém, cantarei o teu poder;

pela manhã, anunciarei alegremente o teu amor,

porque tu foste a minha proteção,

o meu refúgio no dia da angústia.

18A ti, meu Deus, cantarei hinos,

porque tu és a minha fortaleza e proteção;

tu és o Deus que me ama!