a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
73

A retribuição do mal e do bem

731Salmo da coleção de Assaf73,1 Ver 50,1 e nota.

Como Deus é bom para Israel,

para os que têm coração puro!

2Os meus pés estavam quase a resvalar,

pouco me faltava para escorregar.

3Pois sentia inveja dos soberbos,

ao ver como os maus prosperavam.

4Para eles não há aflições,

pois estão cheios de saúde.

5Não sofrem as contrariedades da vida,

nem são atormentados como os outros.

6Por isso, enchem-se de orgulho

e cobrem-se com o manto da violência.

7Os seus corações transbordam de maldade

e as suas mentes estão cheias de más intenções.

8Zombam e falam com maldade,

dizendo que é de Deus que vem a injustiça.

9Protestam contra Deus, que está nos céus

e a sua língua percorre a terra.

10Por isso, os seus seguidores se voltam para eles

e bebem com avidez as suas palavras.

11Eles dizem: «Como é que Deus vem a saber disto;

como é que o Altíssimo vai descobrir?»

12São assim os maus: vivem cada vez mais ricos,

sem se importarem com Deus.

13De nada me serve ter um coração puro

e ter as mãos limpas de toda a maldade!

14Sofro provações a toda a hora;

todas as manhãs sou castigado.

15Se eu tivesse pensado como eles,

eu atraiçoaria aqueles que te são fiéis.

16Tentei compreender isso,

mas foi muito penoso para mim.

17Só quando entrei no santuário de Deus,

compreendi qual iria ser o fim deles.

18Tu hás de conduzi-los à perdição,

e fazê-los cair na ruína.

19Num momento ficarão destruídos!

O medo acabará com eles!

20Como quando alguém desperta de um sonho,

quando te levantares, Senhor, desprezarás a imagem deles.

21Outrora, o meu coração estava cheio de amargura

e a minha mente, transtornada;

22era insensato e nada compreendia.

Eu era como um animal diante de ti!

23No entanto, tenho estado sempre contigo;

tu conduzes-me pela mão,

24guias-me ao teu convívio

e hás de receber-me com honras.

25Quem tenho eu no céu, além de ti?

Na terra só desejo estar contigo.

26Ainda que o meu ser se esteja a consumir,

Deus é quem dá força ao meu coração;

ele é a minha herança para sempre.

27Os que se afastam de ti vão perder-se;

tu destróis aqueles que te renegam.

28Para mim, a felicidade é estar perto de Deus.

Tu, Senhor, meu Deus, és o meu refúgio;

hei de proclamar tudo o que tens feito.

74

Oração pela libertação do povo

741Poema da coleção de Assaf74,1 Ver 50,1 e nota..

Ó Deus, por que nos abandonaste para sempre?

Por que se voltou a tua ira

contra as ovelhas de quem és o pastor?

2Lembra-te do teu povo,

que escolheste há tanto tempo,

das tribos que resgataste para te pertencerem,

do monte de Sião, onde tens a tua morada.

3Vem ver estas ruínas sem fim;

o inimigo tudo destruiu no santuário!

4Os teus inimigos cantaram vitória no teu santuário;

ergueram nele as suas bandeiras como troféus.

5Atacaram a entrada superior

e destruíram os madeiramentos a golpe de machado.

6Destroçaram as suas portas,

batendo com martelos e malhos.

7Deitaram fogo ao teu santuário e profanaram-no,

deitando por terra a tua habitação.

8Decidiram destruir-nos completamente

e queimaram todos os santuários de Deus no país.

9Já não há sinais para nós,

já não existem profetas,

e ninguém sabe até quando isto durará!

10Até quando, ó Deus, irá ultrajar-nos o inimigo?

Até quando falará com desprezo do teu nome?

11Por que retiras a tua mão poderosa?

Por que ficas de braços cruzados?

12Ó Deus, desde sempre tu foste o meu rei;

conseguiste muitas vitórias nesta terra.

13Tu, ó Deus, abriste o mar com o teu poder;

esmagaste a cabeça dos monstros marinhos.

14Despedaçaste as cabeças do Leviatã74,14 Ver Is 27,1.

e deste-o a comer às feras do deserto74,14 Ou: aos monstros do mar..

15Fizeste brotar fontes e nascentes

e secaste rios caudalosos.

16O dia e a noite pertencem-te;

estabeleceste a Lua e o Sol.

17Fixaste os limites da terra inteira;

determinaste o verão e o inverno.

18Lembra-te, Senhor, que o inimigo escarnece de ti

e que um povo insensato despreza o teu nome.

19Não entregues às feras a vida dos teus fiéis74,19 Ou: da tua pomba.;

não te esqueças para sempre do teu povo indefeso.

20Lembra-te da aliança que fizeste connosco,

porque o país de lés a lés está cheio de violência.

21Não consintas que humilhem os oprimidos,

faz com que te louvem o pobre e o necessitado.

22Ergue-te, ó Deus, defende a tua causa!

Lembra-te que os insensatos te ofendem sem cessar!

23Não te esqueças dos gritos dos teus inimigos:

a vozearia dos rebeldes contra ti sobe cada vez mais.

75

Deus é juiz

751Ao diretor do coro. Salmo e cântico da coleção de Assaf75,1 Ver 50,1 e nota..

2A ti, ó Deus, louvamos; a ti damos louvor!

Invocamos75,2 Segunda a antiga tradução grega. Literalmente: o teu nome está perto. o teu nome; cantamos as tuas maravilhas.

3O Senhor diz: «Quando eu tiver decidido julgar,

julgarei com retidão.

4Quando a terra treme, com todos os seus habitantes,

sou eu quem mantém firmes as suas bases.

5Digo aos arrogantes: “Não sejam insensatos!”

E aos que fazem mal: “Não sejam rebeldes!”

6Não se revoltem contra Deus,

nem sejam insolentes a falar.»

7O julgamento não vem do oriente ou do ocidente,

nem do deserto nem das montanhas;

8pois Deus é que é o juiz:

a uns condena, a outros absolve.

9Na mão do Senhor há um cálice

cheio de vinho forte da sua ira,

que ele dá a beber aos malvados da terra;

e eles bebem até à última gota.

10Eu, porém, louvarei o Deus eterno;

cantarei louvores ao Deus de Jacob.

11Ele destrói75,11 Literalmente: Eu destruirei. o poder dos maus,

mas aumentará o poder dos justos.