a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
7

Oração pedindo justiça

71Lamentação, que David entoou ao Senhor sobre o benjaminita Cuche.

2Senhor, meu Deus, em ti confio;

salva-me e livra-me de todos os que me perseguem!

3Doutro modo, eles destroçam-me como um leão,

despedaçam-me, sem que ninguém me valha.

4Senhor, meu Deus, se eu fiz algum mal,

se as minhas mãos cometeram algum crime,

5se paguei ao meu amigo o bem com o mal,

se oprimi sem razão o meu inimigo,

6então, que o meu inimigo me persiga e me alcance,

me atire por terra7,6 Cf. 18,39. e me desfaça em pó.

7Ergue-te, na tua ira, Senhor,

e faz frente à fúria dos meus inimigos.

Desperta, meu Deus, e pronuncia a sentença.

8Que a assembleia das nações se junte à tua volta.

Tu as dominas do alto do teu trono.

9Que o Senhor julgue as nações.

Julga-me, Senhor, segundo a minha justiça

e segundo a minha inocência, ó Altíssimo.

10Põe fim à malícia dos maus e fortalece os justos,

tu que examinas os pensamentos e sentimentos,

tu que és justo, ó Deus.

11O Deus altíssimo é o meu protetor,

ele que salva os de coração sincero.

12Deus é um juiz justo,

um Deus que condena sempre a maldade.

13Se o homem não se volta para Deus,

ele afiará a sua espada;

já tem o seu arco curvado e preparado

14e para ele aponta as setas inflamadas.

Ele tem prontas as suas armas mortais7,14 O sujeito dos v. 13–14 não é claro. Ou: Os malvados afiam de novo a espada; já têm o seu arco curvado e preparado e apontam setas inflamadas. Eles têm prontas as suas armas mortais..

15O homem mau concebe a iniquidade,

gera a maldade e dá à luz a mentira.

16Cavou um buraco bem profundo

mas caiu no fosso que preparou.

17A sua maldade e violência

recairão sobre a sua própria cabeça.

18Louvarei o Senhor, porque ele é justo:

cantarei louvores ao Senhor, o Altíssimo.

8

A majestade de Deus e a grandeza do homem

81Ao diretor do coro. Salmo da coleção de David, com a lira de Gat sobre Guitit8,1 Ou: para cantar à maneira do povo de Gat..

2Ó Senhor, nosso Deus,

como é admirável o teu nome em toda a terra!

Adorarei a tua majestade mais alta do que os céus,

3pela boca das crianças e dos pequeninos.

Levantaste uma fortaleza contra os teus adversários,

para anular inimigos e rebeldes8,3 Ou: É pela boca das crianças e dos pequeninos que tu te opões aos teus adversários, para reduzires ao silêncio os inimigos e os rebeldes. Este versículo é mencionado em Mt 21,16 a partir da antiga tradução grega..

4Quando contemplo os céus, obra das tuas mãos,

e a Lua e as estrelas que tu criaste, penso:

5Que é o homem, para te lembrares dele?

Que é o ser humano, para te preocupares com ele?

6Contudo, fizeste-o pouco menos do que Deus8,6 A partir da antiga tradução grega, desenvolveu-se uma tradição que diz anjos. Ver Hb 2,7.

e coroaste-o de honra e dignidade.

7Deste-lhe domínio sobre as tuas obras,

colocaste tudo sob o seu poder:

8ovelhas e bois sem exceção

e também os animais selvagens;

9as aves do céu e os peixes do mar

que percorrem os caminhos do oceano.

10Ó Senhor, nosso Deus,

como é admirável o teu nome em toda a terra!

9

Hino de louvor à justiça de Deus

91Ao diretor do coro. Salmo da coleção de David.

2Quero9,2 Este Salmo, tal como os Salmos 25, 34, 37, 111, 112, 119 e 145, tem a característica de as estrofes ou versos começarem por uma das 22 consoantes hebraicas, na sua ordem alfabética. São por isso classificados Salmos Alfabéticos. Os salmos 9 e 10 formam um desses conjuntos alfabéticos. louvar-te, Senhor, com todo o coração,

e cantar todas as tuas maravilhas.

3Em ti exultarei de alegria,

e a ti cantarei salmos, ó Deus altíssimo.

4Pois os meus inimigos recuam diante de ti,

tropeçam e caem mortos.

5Tu defendes o meu direito e a minha causa,

sentando-te no tribunal como justo juiz.

6Repreendeste os pagãos, exterminaste os maus,

apagaste para sempre a sua recordação.

7Os inimigos pereceram arruinados para sempre;

destruíste as suas cidades, a memória deles desapareceu.

8Mas o Senhor é rei para sempre.

Ele preparou o seu trono para o julgamento

9e julgará o mundo com justiça;

pronunciará sobre os povos sentenças justas.

10O Senhor é um refúgio para o oprimido,

um refúgio nos tempos de aflição.

11Os que te conhecem confiam em ti,

porque tu, Senhor, nunca desamparaste os que te procuram.

12Cantem ao Senhor, que reina em Sião,

anunciem aos povos o que ele tem feito.

13Pois aquele que persegue os assassinos lembrou-se dos seus

e não se esqueceu do grito dos oprimidos.

14Tem piedade de mim, Senhor!

Repara como me fazem sofrer os que me odeiam.

Livra-me das portas da morte,

15para que eu proclame em Sião o teu louvor

e me alegre porque me salvaste.

16Os pagãos caíram na armadilha que fizeram;

prenderam-se-lhes os pés na rede que armaram.

17O Senhor manifestou-se e fez justiça;

o homem mau caiu nas próprias malhas9,17 O texto hebraico antecede aqui a palavra selah (ver nota a 3,3) da palavra “higaion”, que parece ser também uma indicação musical ou litúrgica, com o hipotético significado de “interlúdio” ou “surdina”, ou a introdução de qualquer instrumento musical..

18Ao sepulcro vão terminar os criminosos,

todos os povos esquecidos de Deus.

19Mas o pobre não será esquecido para sempre,

nem para sempre se perderá a esperança dos oprimidos.

20Ergue-te, Senhor, não deixes que os homens te desafiem!

Julga os pagãos na tua presença.

21Faz com que eles sintam temor,

e saibam os povos que são simples mortais.