a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
1

Saudação

11Eu, Paulo, sou servo de Cristo Jesus e fui chamado para ser apóstolo, escolhido para anunciar o evangelho de Deus.

2Esta boa nova já Deus a tinha prometido na Sagrada Escritura por meio dos seus profetas. 3Ela diz respeito ao seu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo. Pelo nascimento, ele era descendente de David, 4mas pelo Espírito que santifica foi manifestado como Filho de Deus com poder, pela ressurreição dos mortos. 5Foi por meio dele que recebi o privilégio de ser apóstolo, para levar as pessoas de todas as nações à obediência da fé, por amor do seu nome. 6É no número dos que foram chamados a pertencer a Cristo que os irmãos também se encontram. 7A todos, pois, os que em Roma são amados de Deus e chamados a ser santos, que Deus nosso Pai e Jesus Cristo nosso Senhor vos deem graça e paz.

Paulo deseja visitar Roma

8Antes de mais, dou graças ao meu Deus por meio de Jesus Cristo. Dou graças por todos vós, porque em toda a parte se fala da vossa fé. 9Deus sabe como é verdade o que digo — aquele Deus a quem sirvo de todo o coração ao anunciar a boa nova a respeito de seu Filho. Ele é testemunha de como sempre vos recordo nas minhas orações. 10Peço a Deus que, pela sua vontade, me dê um dia a oportunidade de ir até junto de vós. 11De facto tenho imenso desejo de vos ir visitar para vos transmitir algum dom espiritual, de modo que se tornem mais firmes na fé. 12Desejo que nos animemos uns aos outros: eu pela vossa fé e vós pela minha.

13Meus irmãos, quero que fiquem a saber que muitas vezes fiz os meus planos para vos ir visitar, mas até agora não me foi possível. Desejava que isso também vos levasse algum proveito, tal como tem acontecido com outros povos. 14É meu dever ir até junto de todos, civilizados ou não-civilizados, sábios ou ignorantes. 15Daí, o meu grande desejo de anunciar o evangelho também a vós em Roma.

A força da boa nova

16Não me envergonho do evangelho. Ele é o poder de Deus para salvar todos os que creem, primeiro os judeus e também os não-judeus. 17Nele se revela a justiça de Deus por meio da fé. Como está escrito: Aquele que é justo pela fé viverá1,17 Ver Hc 2,4. Texto de difícil tradução. O sentido parece ser: Deus torna os homens justos, ou seja, põe os homens em relação de amizade com Deus, por meio da fé. É esse o sentido da justiça de Deus..

A culpa da Humanidade

18Com efeito, Deus manifesta a sua ira divina1,18 Ira divina. A reação de Deus para com o pecado que as pessoas cometem. contra toda a impiedade e injustiça cometida por aqueles que, pela sua injustiça, não deixam que se conheça a verdade. 19Deus castiga-os porque eles conhecem bem aquilo que se pode conhecer a respeito de Deus. Pois também a eles Deus se deu a conhecer. 20De facto, desde a criação do mundo, Deus que é invisível mostrou claramente o seu poder eterno e a sua divindade nas suas obras. Por isso não têm desculpa. 21Eles sabiam que Deus existe mas não o adoraram nem lhe deram graças como é devido. Pelo contrário, os seus raciocínios tornaram-se vazios e os seus corações insensatos perderam-se na escuridão. 22Dizem-se sábios mas não têm juízo. 23Em vez de darem glória ao Deus imortal, adoraram imagens do homem mortal e até adoraram imagens de aves, serpentes e outros animais.

24Por isso Deus abandonou-os às paixões dos seus corações e caíram em ações vergonhosas desonrando os seus próprios corpos. 25Trocaram o verdadeiro conhecimento de Deus pela mentira. Adoraram e serviram coisas criadas em vez de adorarem e servirem o próprio Criador, ele que deve ser adorado eternamente! Ámen.

26Por isso Deus os abandonou às paixões vergonhosas. Até as mulheres mudaram as relações naturais por relações contra a natureza. 27Da mesma maneira, os homens deixaram as relações normais com a mulher para arderem de paixão uns pelos outros. Caíram em ações vergonhosas uns com os outros e eles mesmos receberam o castigo dos seus erros.

28Uma vez que não tiveram em consideração o conhecimento de Deus, o próprio Deus os abandonou ao seu entendimento corrompido para fazerem o que não deviam. 29Encheram-se de toda a espécie de injustiças, perversidades, ambições, maldades, invejas, crimes, desordens, mentiras, falsidades e calúnias. 30Tornaram-se maldizentes, inimigos de Deus, insolentes, orgulhosos, arrogantes, intriguistas, rebeldes para com os pais, 31sem consciência, desleais, sem amor e desumanos uns para com os outros. 32Eles sabem muito bem que é lei de Deus que todos os que vivem assim merecem a morte. E não só fazem tais coisas mas até aprovam os outros que fazem o mesmo.

2

O julgamento de Deus é imparcial

21Por isso, quem quer que sejas, não tens desculpa ao julgares os outros. Ao julgá-los, condenas-te a ti mesmo, porque fazes o mesmo que eles. 2Nós sabemos que o julgamento de Deus é verdadeiro ao condenar aqueles que fazem tais coisas. 3Como é que tu pensas escapar à condenação de Deus se, apesar de criticares aqueles que cometem essas ações, fazes o mesmo que eles? 4Como é que desprezas a grande bondade de Deus, a sua paciência e tolerância? Não sabes que é a bondade de Deus que te leva ao arrependimento? 5Mas tu tens um coração endurecido que não quer arrepender-se. Por isso estás a aumentar o castigo para o dia do juízo, em que Deus dará a conhecer a sua justa sentença. 6Ele dará a cada um conforme as suas obras. 7Dará a vida eterna aos que praticam com perseverança as boas obras e buscam glória, honra e vida imortal. 8Mas dará um castigo terrível aos que se revoltam contra ele e não aceitam a verdade, mas seguem a injustiça. 9Haverá sofrimento e angústia para todos os que fazem o mal, primeiro para os judeus e também para os não-judeus. 10Mas haverá glória, honra e paz para todos os que fazem o bem, primeiro para os judeus e também para os não-judeus. 11Pois Deus não faz distinção de pessoas2,11 Ver Dt 10,17..

12Todos os que pecam sem conhecerem a Lei de Moisés, perdem-se sem serem julgados por essa lei. Mas todos os que pecam, apesar de a conhecerem, serão julgados segundo a lei. 13Pois não é por conhecerem a lei que as pessoas se tornam justas diante de Deus, mas são justificadas por fazerem o que a lei manda. 14Ora quando os que não são judeus, sem terem a Lei de Moisés, cumprem naturalmente aquilo que manda a lei, eles são a lei para si mesmos. 15Mostram pelo seu proceder que trazem escrito no coração aquilo que a lei ordena. A voz da sua consciência ensina-lhes o que devem fazer e acusa-os ou defende-os, conforme os casos. 16É isto que se há de ver, de acordo com o evangelho que eu anuncio, no dia em que Deus julgará, por meio de Jesus Cristo, até os segredos de cada um.

A culpa dos judeus

17Tu declaras-te judeu, apoias-te na Lei de Moisés e sentes-te orgulhoso por conheceres a Deus. 18Conheces a vontade de Deus e a lei ensina-te a escolher o que é melhor. 19Consideras-te como um guia de cegos, uma luz para os que andam nas trevas. 20Julgas-te um mestre de ignorantes e um educador de crianças, visto estares na posse do conhecimento e da verdade da lei. 21Ora tu que ensinas os outros, por que não te ensinas a ti mesmo? Tu pregas que não se deve roubar. Por que é que roubas? 22Tu dizes que não se deve praticar adultério. Por que é que o praticas? Tu detestas os falsos deuses. Por que é que te aproveitas daquilo que lhes é oferecido? 23Sentes-te orgulhoso de possuir a lei, mas desprezas a Deus ao fazeres o contrário do que a lei manda. 24Lá diz a Sagrada Escritura: É por vossa causa que os outros povos dizem mal de Deus2,24 Citação de Is 52,5 segundo a antiga tradução grega..

Qual o valor da circuncisão?

25A circuncisão é na verdade proveitosa, se observares a lei; mas se a não observas, é como se não fosses circuncidado. 26Pelo contrário, o que não recebeu a circuncisão, mas cumpre o que manda a lei, esse é como se fosse circuncidado. 27E aquele que não foi circuncidado no seu corpo, mas cumpre a lei, há de julgar-te a ti que a transgrides, apesar de conheceres a lei escrita e de seres circuncidado. 28Não é judeu aquele que o mostra exteriormente, nem é circuncisão aquela que se recebe no corpo2,28 A palavra corpo ou carne significa o homem na sua inclinação para o mal, como em 7,18.. 29O verdadeiro judeu é aquele que o é interiormente, como se fosse circuncidado no coração, isto é uma circuncisão que vem do Espírito e não da lei escrita2,29 A lei escrita. As leis do Antigo Testamento.. Esse tem a aprovação não tanto dos homens mas de Deus.

3

Quais as vantagens dos judeus?

31Qual é então a vantagem de ser judeu? Qual é o valor da circuncisão? 2É grande em muitos aspetos. E primeiramente porque Deus confiou a sua mensagem aos judeus. 3Que acontece então se alguns não acreditaram? A infidelidade deles levará Deus a ser também infiel? 4Certamente que não. Deus será verdadeiro, mesmo se os homens são mentirosos, como diz a Escritura:

As tuas palavras, ó Deus, hão de mostrar que és justo

e hás de vencer quando fores julgado3,4 Citação de Sl 51,6 segundo a antiga tradução grega..

5Mas se a nossa infidelidade serve para mostrar a fidelidade de Deus, que diremos nós? Será Deus injusto porque nos castiga? Falo como homem. 6Claro que não. Se Deus não fosse justo, como poderia julgar o mundo? 7Mas se a minha mentira serve para mostrar ainda mais a verdade de Deus e a sua glória, por que hei de ser ainda condenado como pecador? 8Então por que não dizer: «façamos o mal para que venha o bem»? Alguns acusam-me de eu dizer isso. Esses serão justamente condenados.

Todos somos pecadores

9Que dizer então? Nós os judeus seremos melhores do que os outros? De modo nenhum! Tenho estado a explicar que tanto os judeus como os não-judeus estão dominados pelo pecado. 10Assim diz a Sagrada Escritura:

Não há ninguém que seja justo. Ninguém.

11Não há ninguém que compreenda;

não há ninguém que busque a Deus.

12Todos andam fora do caminho

e todos se perdem.

Não há quem faça o bem.

Nem um só.

13A sua garganta é como um sepulcro aberto.

Com a sua língua, eles enganam;

Veneno de serpentes sai dos seus lábios3,13 Paulo exprime o seu pensamento com frases do Antigo Testamento. Nos v. 10–13 ele cita alguns Salmos: Sl 14,1–3; 53,2–4; 140,4.

14A sua boca está cheia de rancor e maldição3,14 Ver Sl 10,7.

15Os seus pés caminham velozes

para irem derramar sangue.

16Deixam destruição e ruína por onde passam

17e não conhecem o caminho da paz3,17 Os v. 15–17 são uma citação de Is 59,7–8.

18Não têm nenhum temor de Deus3,18 Ver Sl 36,2..

19Ora nós sabemos que tudo o que diz o livro da lei é para os que estão sujeitos à lei. Que todos se calem e não arranjem desculpas e que o mundo todo se sujeite ao julgamento de Deus. 20Pois não é pelo cumprimento da lei que alguém é justificado por Deus. Pela lei, o que sabemos é que somos pecadores.

Deus é que salva

21Mas agora Deus mostrou-nos como é que as pessoas são justificadas por ele, sem ser por meio da lei3,21 A mesma ideia de 1,17: Deus é que nos torna justos diante de si mesmo.. E é a própria Lei de Moisés e os profetas que provam isso.

22Deus faz com que as pessoas sejam justificadas por meio da fé em Jesus Cristo3,22 Ou: pela fidelidade de Jesus Cristo.. É assim para todos os que creem em Jesus Cristo, sem haver diferença de pessoas. 23Todos pecaram e estão privados da glória de Deus. 24Mas pela sua bondade imerecida, Deus os justifica gratuitamente por meio de Jesus Cristo que os libertou do poder do pecado. 25Deus fez com que Cristo, pela sua morte, se tornasse instrumento de perdão para os que creem nele3,25 Alusão à cerimónia descrita em Lv 16. No grande dia da expiação dos pecados realizava-se a cerimónia da aspersão do sangue, sobre a cobertura da arca sagrada, para o perdão dos pecados de todo o povo. Depois da vinda de Cristo é ele, pelo dom do seu sangue, que assegura o perdão.. Foi assim que ele mostrou a sua justiça, não tendo, na sua paciência, castigado os pecados antes cometidos. 26Fê-lo para demonstrar a sua justiça no tempo presente, pois Deus é justo e justifica os que creem em Jesus.

27Onde está portanto o motivo para alguém se orgulhar? Não há motivo nenhum. Que razão poderia existir? Por cumprirem as exigências da lei? Não. Somente porque se tem fé. 28Nós consideramos que o homem é justificado pela fé e não pelo cumprimento das obras da lei. 29Doutro modo Deus seria apenas o Deus dos judeus. Não é ele igualmente Deus dos outros povos? Claro que sim! 30Com efeito há um só Deus que, por meio da fé, justifica tanto os judeus como os não-judeus. 31Quer isto dizer que, por causa da fé, nós negamos todo o valor à lei? De modo nenhum. Pelo contrário, reconhecemos à lei o seu verdadeiro valor.