a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
1

A Oração de Azarias

11[24] Eles1,1 Ananias. Misael. Azarias. Nomes hebraicos de Sadraque, Mesaque e Abed-Nego. Ver Dn 1,6–7. passeavam no meio das labaredas, cantando hinos a Deus e bendizendo o Senhor. 2[25] De repente Azarias, de pé ali no meio das labaredas, abriu a sua boca e fez a seguinte oração:

3[26] «Bendito e louvado sejas, ó Senhor, Deus dos nossos antepassados,

e que o teu nome seja glorificado para sempre!

4[27] Pois tu foste justo em tudo o que fizeste por nós;

todas as tuas ações são verdadeiras, todos os teus caminhos são retos,

e todos os teus julgamentos são verdadeiros.

5[28] Os teus juízos foram verdadeiros em tudo o que sobre nós fizeste cair

e sobre Jerusalém, a santa cidade dos nossos antepassados.

Pois com verdade e com justiça fizeste cair sobre nós todas estas coisas.

6[29] Pois pecámos e procedemos iniquamente, e afastámo-nos de ti;

em tudo pecámos e não demos ouvidos aos teus mandamentos.

7[30] Não observámos nem cumprimos o que nos mandaste fazer,

a fim de que tudo nos corresse bem.

8[31] Todos os males que mandaste cair sobre nós, tudo o que fizeste acontecer connosco,

tudo fizeste com verdadeiro juízo.

9[32] E entregaste-nos nas mãos dos nossos inimigos, que não obedecem à tua lei, gente odiosa e ímpia.

Entregaste-os a um rei cruel, o pior homem que há no mundo inteiro.

10[33] E agora não podemos abrir a boca;

vergonha e infâmia é o que experimentam os teus servos e todos os piedosos.

11[34] Mas pelo teu nome, não nos entregues à perdição,

nem quebres a aliança que fizeste connosco,

12[35] nem apartes de nós a tua misericórdia.

Cumpre a promessa que fizeste a Abraão, teu amigo, a Isaac, teu servo, e a Jacob, teu escolhido1,12 Outra tradução: Israel, o teu povo escolhido..

13[36] Tu prometeste-lhes

que os seus descendentes seriam tantos como as estrelas do céu

ou como os grãos de areia da praia do mar.

14[37] Mas agora, ó Senhor, nós somos a menor de todas as nações

e por causa dos nossos pecados estamos a ser humilhados no mundo inteiro.

15[38] Neste tempo deixou de haver autoridades, profetas e chefes;

já não te oferecemos animais em holocausto

e não te apresentamos outros sacrifícios, nem ofertas, nem incenso.

Não existe um lugar onde possamos apresentar-te as nossas primícias

e encontrar a tua misericórdia.

16[39] Mas com um coração contrito e com um espírito humilde, apresentamo-nos perante ti.

Pedimos que nos aceites como se estivéssemos a oferecer-te bodes e touros em sacrifício

e também milhares de cordeiros gordos.

17[40] Que este seja o nosso sacrifício de hoje;

que ele possa cumprir o seu propósito diante de ti,

pois quem confia em ti nunca se envergonhará.

18[41] E agora seguimos-te com todo o coração e tememos-te

e buscamos a tua face; não nos deixes envergonhados,

19[42] mas trata-nos de acordo com a tua bondade,

conforme a abundância da tua misericórdia.

20[43] Livra-nos, Senhor, com os teus prodígios

e dá glória ao teu nome.

21[44] Faz com que aqueles que maltratam os teus servos caiam na desgraça;

que sejam envergonhados e que percam todo o seu poder e autoridade,

e que toda a sua força seja destruída.

22[45] Que todos reconheçam que somente tu, Senhor, és Deus,

e que a tua glória se espalhe pelo mundo inteiro.»

O Anjo do Senhor salva os jovens

23[46] Os funcionários do rei que tinham atirado os três jovens para a fornalha não paravam de a aquecer com nafta, pez, estopa e lenha. 24[47] As labaredas subiam até vinte e cinco metros acima da fornalha, 25[48] espalharam-se e queimaram os caldeus que estavam ali em volta. 26[49] O Anjo do Senhor desceu e entrou na fornalha onde estavam Azarias e os seus amigos; atirou as labaredas para fora da fornalha 27[50] e fez soprar no meio da fornalha como que um vento fresco matinal. Assim o fogo não tocou nos três jovens, não lhes causou dor nem lhes fez qualquer mal.

A canção dos três jovens

28[51] Então os três jovens, que estavam na fornalha, cantaram, glorificaram e louvaram a Deus a uma só voz com esta canção:

29[52] «Bendito sejas, ó Senhor, Deus dos nossos antepassados,

sê louvado e engrandecido para sempre.

Que o teu santo e glorioso nome seja bendito,

e que seja louvado e engrandecido para todo o sempre.

30[53] Bendito sejas no templo da tua santa glória,

pois mereces o supremo louvor e ser engrandecido para sempre.

31[54] Bendito sejas, tu que estás sentado acima dos querubins,

louvado e engrandecido para sempre1,31 A ordem dos v. 54 e 55 e 58 e 59 é invertida em alguns manuscritos gregos..

32[55] Bendito sejas, tu que estás sentado no teu trono de rei;

pois mereces o supremo louvor e ser engrandecido para sempre.

33[56] Bendito sejas no firmamento dos céus;

mereces hinos e ser glorificado para sempre.

34[57] Louvem ao Senhor, todas as suas obras;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

35[58] Louvem ao Senhor, ó céus;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

36[59] Louvem ao Senhor, ó anjos do céu;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

37[60] Louvem ao Senhor, todas as águas que estão no céu;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

38[61] Louvem ao Senhor, todos os poderosos seres celestiais;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

39[62] Louvem ao Senhor, Sol e Lua;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

40[63] Louvem ao Senhor, estrelas do céu;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

41[64] Louvem ao Senhor, chuva e orvalho;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

42[65] Louvem ao Senhor, todos os ventos;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

43[66] Louvem ao Senhor, fogo e calor;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

44[67] Louvem ao Senhor, inverno e calor;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

45[68] Louvem ao Senhor, orvalho e neve;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

46[69] Louvem ao Senhor, gelo e frio;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

47[70] Louvem ao Senhor, geadas e neve;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

48[71] Louvem ao Senhor, noites e dias;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

49[72] Louvem ao Senhor, luz e escuridão;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

50[73] Louvem ao Senhor, relâmpagos e nuvens;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

51[74] Que a Terra louve ao Senhor;

cante hinos de louvor e engrandeça-o para sempre.

52[75] Louvem ao Senhor, montanhas e colinas;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

53[76] Louvem ao Senhor, todas as plantas da terra;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

54[77] Louvem ao Senhor, fontes de água;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

55[78] Louvem ao Senhor, mares e rios;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

56[79] Louvem ao Senhor, baleias e todos os outros seres do mar;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

57[80] Louvem ao Senhor, todas as aves do céu;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

58[81] Louvem ao Senhor, animais domésticos e selvagens;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

59[82] Louvem ao Senhor, todas as pessoas;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

60[83] Louva ao Senhor, povo de Israel;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

61[84] Louvem ao Senhor, sacerdotes do Senhor;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

62[85] Louvem ao Senhor, servos do Senhor;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

63[86] Louvem ao Senhor, todos os que são dele;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

64[87] Louvem ao Senhor, todos os que são humildes e dedicados a Deus;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

65[88] Louvem ao Senhor, Ananias, Azarias e Michael;

cantem hinos de louvor e engrandeçam-no para sempre.

Porque nos livrou do mundo dos mortos e das mãos da morte;

tirou-nos do meio da fornalha acesa, e do meio das labaredas.

66[89] Agradeçam ao Senhor, pois ele é bom,

e o seu amor dura para sempre.

67[90] Bendigam ao Senhor, o Deus dos deuses,

todos os piedosos cantem hinos de louvor e deem-lhe graças,

pois o seu amor dura para sempre.»

1

Introdução e saudação

11Este livro contém a revelação de Jesus Cristo que ele recebeu de Deus, para a dar a conhecer aos seus servos. Trata-se de coisas que hão de acontecer brevemente e que Cristo deu a conhecer ao seu servo João por um anjo que lhe enviou.

2João atesta tudo quanto viu em relação à palavra e ao testemunho de Jesus Cristo. 3Feliz aquele que lê este livro e felizes os que ouvem estas palavras proféticas e guardam o que aqui está escrito1,3 O autor afirma que é preciso ler, ouvir e guardar estas palavras. A Sagrada Escritura foi escrita por causa desta triologia verbal: ler, ouvir e guardar. Quem assim fizer, será feliz., porque tudo isto há de acontecer em breve.

4Eu, João, dirijo-me às sete igrejas da província da Ásia1,4 As sete igrejas são enumeradas no v. 11.. Desejo-vos graça e paz da parte daquele que é, que era e que há de vir, e ainda da parte dos sete espíritos1,4 Sete Espíritos. O número sete simboliza a perfeição. Os sete espíritos simbolizam, portanto, a ação misteriosa de Deus na história dos homens. que estão diante do seu trono, 5e de Jesus Cristo, a testemunha fiel, o primeiro dos ressuscitados, o soberano dos reis da Terra.

Cristo ama-nos e pela sua morte libertou-nos dos nossos pecados. 6Ele fez de nós um reino de sacerdotes para Deus, seu Pai. A ele seja dada glória e o poder para todo o sempre. Ámen.

7Eis que ele vem com as nuvens.

Toda a gente o verá,

até mesmo os que o mataram.

Todos os povos da Terra se lamentarão por ele.

Assim há de ser! Ámen!

8Eu sou o Alfa e o Ómega1,8 Alfa e Ómega. Primeira e última letra do alfabeto grego (21,2; 22,13). A expressão significa: o Primeiro e o Último ou o Princípio e o Fim., diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.

Cristo revela-se a João

9Eu sou João, vosso irmão, e participo convosco nas mesmas perseguições no reino de Deus e na perseverança por Jesus. Encontrava-me na ilha de Patmos1,9 Patmos. Pequena ilha do mar Egeu para onde os romanos exilavam as pessoas que julgavam politicamente indesejadas. por ter proclamado a palavra de Deus e o testemunho de Jesus. 10O Espírito de Deus apoderou-se de mim, no dia do Senhor, e eu ouvi atrás de mim uma voz forte que parecia a voz duma trombeta. 11Dizia assim: «Escreve num livro aquilo que vais ver, e manda-o às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia.» 12Voltei-me para ver quem é que me falava e, ao voltar-me, vi sete castiçais de ouro1,12 Sete castiçais. Representam as sete igrejas a quem o autor escreveu. Ver 1,20.. 13E no meio dos castiçais estava alguém semelhante ao Filho do Homem vestido até aos pés com uma túnica comprida e uma faixa dourada à volta do peito. 14A sua cabeça e os seus cabelos eram brancos como a lã ou como a neve e os seus olhos eram ardentes como o fogo. 15Os seus pés brilhavam como bronze fundido na fornalha e a sua voz era como o ruído das grandes cascatas1,15 Para os v. 13–15, ver Dn 7,13; 10,5; 7,9; 10,6.. 16Na sua mão direita tinha sete estrelas; da sua boca saía uma espada de dois gumes muito afiada e o seu rosto brilhava como o sol do meio-dia.

17Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Mas ele pôs a sua mão direita em cima de mim e disse: «Não tenhas medo! Eu sou o primeiro e o último1,17 Para os v. 16–17, ver Is 49,2; Hb 4,12; Is 44,6; 48,12.. 18Eu sou aquele que está vivo! Estive morto, mas agora vivo para sempre. Eu tenho poder sobre a morte e sobre o mundo dos mortos. 19Escreve pois aquilo que viste, o que está a acontecer agora e o que vai acontecer mais tarde. 20O significado das sete estrelas que viste na minha mão direita e dos sete castiçais de ouro é o seguinte: as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais são essas sete igrejas.»