a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
11

111A sabedoria de um manso exaltará a sua cabeça

e fá-lo-á sentar-se no meio dos poderosos.

Não confies nas aparências

2Não elogies alguém somente porque ele é bonito,

nem desprezes uma pessoa porque ela é feia.

3Comparada com os passarinhos, a abelha é bem pequena,

mas não há nada mais doce do que o fruto11,3 Literalmente: o princípio das doçuras é o seu fruto. que ela produz, o mel.

4Não te orgulhes das roupas bonitas

e não fiques vaidoso quando receberes elogios.

Lembra-te de que maravilhosas são as obras do Senhor,

coisas que os seres humanos não podem ver.

5Muitos tiranos acabaram sentados no chão,

ao passo que homens sem importância já se tornaram reis.

6Muitas pessoas poderosas foram duramente humilhadas,

e homens famosos acabaram por cair nas mãos de outros.

7Não critiques uma pessoa se não estiveres bem informado;

pensa bem antes de a julgar.

8Não respondas antes de ouvir o que os outros têm para dizer;

fica calado enquanto eles estiverem a falar.

9Não te metas numa discussão que não é da tua conta;

não te juntes aos pecadores quando estiverem a julgar um caso.

A riqueza e a pobreza

10Meu filho, não procures fazer muitas coisas de uma só vez;

se tentares fazer trabalhos demais, acabarás por ser prejudicado.

Não adianta desgastares-te, pois não darás conta de tudo

e nunca poderás livrar-te de todos os teus deveres.

11Há pessoas que trabalham muito e não param quando estão cansadas,

mas mesmo assim vão ficando cada vez mais pobres.

12Mas há outras que são incompetentes e precisam de ajuda,

que são fracas e muito pobres.

E o olhar do Senhor vira-se para elas, para seu bem,

e levanta-as do seu estado de humilhação.

13O Senhor exalta as suas cabeças

e muitos ficam admirados com isso.

14O bem e o mal, a vida e a morte,

a riqueza e a pobreza, tudo isso vem do Senhor.

15[A sabedoria, a inteligência e o conhecimento da lei vêm do Senhor,

e é dele que vêm o amor e as veredas do bem.

16O erro e a escuridão nasceram com os pecadores,

e os que amam o mal, o mal os acompanhará até ao fim11,16 Os v. 15 e 16 não se encontram em alguns manuscritos gregos antigos..]

17As bênçãos de Deus ficam para os obedientes;

a bondade de Deus fará com que tenham sucesso sem fim.

18Um homem pode enriquecer graças a muito esforço e muitas economias,

mas qual a recompensa que lhe cabe?

19Dirá ele: «Ganhei o direito à minha aposentação

e agora vou aproveitar de todos os meus bens.»

Mas não sabe quanto tempo ainda lhe resta de vida,

nem que terá de os deixar para outros e morrer.

20Sê fiel aos teus compromissos e aplica-te neles

e continua a trabalhar até ficares velho.

21Não te impressiones com os sucessos do pecador,

mas confia no Senhor e continua a trabalhar.

Pois aos olhos do Senhor é fácil fazer com que um pobre enriqueça depressa.

22As bênçãos do Senhor são a recompensa dos que lhe são obedientes;

depressa ele os fará florescer com as suas bênçãos.

23Não digas: «De que preciso eu?»,

nem «Que hei de eu esperar de bom do futuro?»

24Nem digas: «Tenho tudo do que preciso;

de agora em diante nenhuma desgraça me atingirá.»

25Nos dias bons nós esquecemo-nos dos dias maus

e nos dias maus não nos lembramos mais dos dias bons.

26Até no próprio dia em que um homem morre,

é fácil aos olhos do Senhor recompensá-lo,

de acordo com os caminhos que trilhou na vida.

27Uma hora de sofrimento faz esquecer todos os prazeres

e é no fim da vida que o valor das suas obras será revelado.

28Não digas que uma pessoa é feliz antes de morrer;

só depois da sua morte11,28 De acordo com o texto hebraico. O texto grego diz: só por meio dos seus descendentes. é que a conhecemos de facto.

A escolha de amigos

29Não convides qualquer um para entrar na tua casa,

pois muitos são os truques de um vigarista.

30Como perdiz capturada numa armadilha, assim é o coração do orgulhoso;

como espião ele vigia, à espera que tu caias.

31Ele fica à espera para fazer com que o bem se torne em mal

e sempre encontra defeitos nas melhores ações.

32Uma faísca ateia um fogo enorme,

e um pecador esconde-se à espera de derramar sangue.

33Cuidado com pessoas perversas, pois estão sempre a planear maldades

e são capazes de sujar para sempre o teu bom nome.

34Se receberes um desconhecido em tua casa, ele vai causar-te problemas,

e tu e a tua família acabarão por ser inimigos.

1

Introdução e saudação

11Este livro contém a revelação de Jesus Cristo que ele recebeu de Deus, para a dar a conhecer aos seus servos. Trata-se de coisas que hão de acontecer brevemente e que Cristo deu a conhecer ao seu servo João por um anjo que lhe enviou.

2João atesta tudo quanto viu em relação à palavra e ao testemunho de Jesus Cristo. 3Feliz aquele que lê este livro e felizes os que ouvem estas palavras proféticas e guardam o que aqui está escrito1,3 O autor afirma que é preciso ler, ouvir e guardar estas palavras. A Sagrada Escritura foi escrita por causa desta triologia verbal: ler, ouvir e guardar. Quem assim fizer, será feliz., porque tudo isto há de acontecer em breve.

4Eu, João, dirijo-me às sete igrejas da província da Ásia1,4 As sete igrejas são enumeradas no v. 11.. Desejo-vos graça e paz da parte daquele que é, que era e que há de vir, e ainda da parte dos sete espíritos1,4 Sete Espíritos. O número sete simboliza a perfeição. Os sete espíritos simbolizam, portanto, a ação misteriosa de Deus na história dos homens. que estão diante do seu trono, 5e de Jesus Cristo, a testemunha fiel, o primeiro dos ressuscitados, o soberano dos reis da Terra.

Cristo ama-nos e pela sua morte libertou-nos dos nossos pecados. 6Ele fez de nós um reino de sacerdotes para Deus, seu Pai. A ele seja dada glória e o poder para todo o sempre. Ámen.

7Eis que ele vem com as nuvens.

Toda a gente o verá,

até mesmo os que o mataram.

Todos os povos da Terra se lamentarão por ele.

Assim há de ser! Ámen!

8Eu sou o Alfa e o Ómega1,8 Alfa e Ómega. Primeira e última letra do alfabeto grego (21,2; 22,13). A expressão significa: o Primeiro e o Último ou o Princípio e o Fim., diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.

Cristo revela-se a João

9Eu sou João, vosso irmão, e participo convosco nas mesmas perseguições no reino de Deus e na perseverança por Jesus. Encontrava-me na ilha de Patmos1,9 Patmos. Pequena ilha do mar Egeu para onde os romanos exilavam as pessoas que julgavam politicamente indesejadas. por ter proclamado a palavra de Deus e o testemunho de Jesus. 10O Espírito de Deus apoderou-se de mim, no dia do Senhor, e eu ouvi atrás de mim uma voz forte que parecia a voz duma trombeta. 11Dizia assim: «Escreve num livro aquilo que vais ver, e manda-o às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia.» 12Voltei-me para ver quem é que me falava e, ao voltar-me, vi sete castiçais de ouro1,12 Sete castiçais. Representam as sete igrejas a quem o autor escreveu. Ver 1,20.. 13E no meio dos castiçais estava alguém semelhante ao Filho do Homem vestido até aos pés com uma túnica comprida e uma faixa dourada à volta do peito. 14A sua cabeça e os seus cabelos eram brancos como a lã ou como a neve e os seus olhos eram ardentes como o fogo. 15Os seus pés brilhavam como bronze fundido na fornalha e a sua voz era como o ruído das grandes cascatas1,15 Para os v. 13–15, ver Dn 7,13; 10,5; 7,9; 10,6.. 16Na sua mão direita tinha sete estrelas; da sua boca saía uma espada de dois gumes muito afiada e o seu rosto brilhava como o sol do meio-dia.

17Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Mas ele pôs a sua mão direita em cima de mim e disse: «Não tenhas medo! Eu sou o primeiro e o último1,17 Para os v. 16–17, ver Is 49,2; Hb 4,12; Is 44,6; 48,12.. 18Eu sou aquele que está vivo! Estive morto, mas agora vivo para sempre. Eu tenho poder sobre a morte e sobre o mundo dos mortos. 19Escreve pois aquilo que viste, o que está a acontecer agora e o que vai acontecer mais tarde. 20O significado das sete estrelas que viste na minha mão direita e dos sete castiçais de ouro é o seguinte: as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais são essas sete igrejas.»