a BÍBLIA para todos Edição Católica (BPTct)
4

Tobite dá conselhos a Tobias

41Naquele mesmo dia, Tobite lembrou-se das moedas de prata que tinha entregado a Gabael, na cidade de Ragués, na Média. 2Então pensou assim: «Eu já pedi a Deus que me deixasse morrer; portanto, antes de morrer, eu preciso de chamar o meu filho Tobias e contar-lhe o caso desse dinheiro.» 3Chamou Tobias e, quando ele chegou, Tobite disse: «Quando eu morrer, faz-me um enterro com honras. Respeita a tua mãe e toma conta dela, enquanto ela viver. Faz tudo para lhe agradar e não faças nada que possa deixá-la triste. 4Lembra-te, meu filho, de que a tua mãe, quando estava grávida, esperando por ti, enfrentou muitos perigos por tua causa. E, quando ela morrer, enterra-a ao meu lado, na mesma sepultura. 5Meu filho, durante toda a tua vida não te esqueças do Senhor; não peques, nem desobedeças aos seus mandamentos. Faz sempre o que é direito e nunca sigas os caminhos do mal. 6Os que são retos serão abençoados em tudo o que fizerem. 7Não sejas avarento quando fores dar dinheiro ou outras coisas para ajudar aqueles que obedecem às leis de Deus, mas sê sempre generoso. Não deixes de ajudar os pobres, e Deus não deixará de te ajudar. 8Dá esmolas de acordo com o que tiveres; se tiveres muito, dá muito; se tiveres pouco, mesmo assim não penses antes de dar desse pouco. 9Assim estarás a ajuntar riquezas para usar no dia da necessidade. 10Pois as esmolas salvam a pessoa da morte e não deixam que ela vá para o mundo da escuridão. 11Dar uma esmola é o mesmo que fazer uma oferta que o Deus Altíssimo aceita. 12Meu filho, evita a imoralidade sexual. O mais importante é que cases com uma mulher da nossa tribo. Não cases com uma estrangeira, pois nós somos descendentes dos profetas. Lembra-te dos nossos antepassados que viveram há séculos: Noé, Abraão, Isaac e Jacob. Todos eles casaram com mulheres que eram das suas tribos. Deus os abençoou dando-lhes filhos, e os seus descendentes herdarão a terra. 13Meu filho, ama os teus irmãos e não deixes que o orgulho te faça desprezar o teu povo e deixar de casar com uma israelita. Pois o orgulho traz desgraça e confusão, e a preguiça produz pobreza e miséria. A preguiça é mãe da fome. 14Não retenhas os salários dos teus empregados até ao dia seguinte, mas paga-os imediatamente. Se tu servires a Deus, ele te recompensará. Meu filho, tem cuidado em tudo o que fizeres e sê sempre bem educado na maneira de te comportares. 15Não faças aos outros o que não queres que eles te façam a ti. 16Dá comida aos que têm fome e dá roupa aos que estiverem a precisar. Tudo o que tiveres de sobra dá como esmola e não sejas avarento quando ajudares os necessitados. 17Quando morrer alguém que tenha obedecido fielmente à lei, dá comida para a família do finado4,17 Outra tradução: coloque comida em cima da sepultura dele., mas não faças isso quando morrer um homem mau. 18Procura os conselhos de todos os sábios e nunca desprezes os bons conselhos. 19Louva sempre a Deus, o Senhor. Pede para que ele te faça progredir em todas as coisas e que todos os teus planos tenham sucesso. As outras nações não têm a sabedoria que vem de Deus, o Senhor, mas é ele quem dá tudo o que é bom. Ele também humilha qualquer pessoa, de acordo com a sua vontade4,19 Alguns manuscritos têm: qualquer pessoa, levando-a ao mundo dos mortos lá em baixo.. 20Agora quero que saibas que deixei trezentos e quarenta quilos de moedas de prata guardados na casa de Gabael, irmão de Gabri, que mora na cidade de Ragués, na Média. 21Portanto, meu filho, não te preocupes por sermos pobres. Tu serás rico se temeres a Deus, se te afastares de todo o pecado e se fizeres o que o Senhor, o teu Deus, aprova.»

1

Introdução e saudação

11Este livro contém a revelação de Jesus Cristo que ele recebeu de Deus, para a dar a conhecer aos seus servos. Trata-se de coisas que hão de acontecer brevemente e que Cristo deu a conhecer ao seu servo João por um anjo que lhe enviou.

2João atesta tudo quanto viu em relação à palavra e ao testemunho de Jesus Cristo. 3Feliz aquele que lê este livro e felizes os que ouvem estas palavras proféticas e guardam o que aqui está escrito1,3 O autor afirma que é preciso ler, ouvir e guardar estas palavras. A Sagrada Escritura foi escrita por causa desta triologia verbal: ler, ouvir e guardar. Quem assim fizer, será feliz., porque tudo isto há de acontecer em breve.

4Eu, João, dirijo-me às sete igrejas da província da Ásia1,4 As sete igrejas são enumeradas no v. 11.. Desejo-vos graça e paz da parte daquele que é, que era e que há de vir, e ainda da parte dos sete espíritos1,4 Sete Espíritos. O número sete simboliza a perfeição. Os sete espíritos simbolizam, portanto, a ação misteriosa de Deus na história dos homens. que estão diante do seu trono, 5e de Jesus Cristo, a testemunha fiel, o primeiro dos ressuscitados, o soberano dos reis da Terra.

Cristo ama-nos e pela sua morte libertou-nos dos nossos pecados. 6Ele fez de nós um reino de sacerdotes para Deus, seu Pai. A ele seja dada glória e o poder para todo o sempre. Ámen.

7Eis que ele vem com as nuvens.

Toda a gente o verá,

até mesmo os que o mataram.

Todos os povos da Terra se lamentarão por ele.

Assim há de ser! Ámen!

8Eu sou o Alfa e o Ómega1,8 Alfa e Ómega. Primeira e última letra do alfabeto grego (21,2; 22,13). A expressão significa: o Primeiro e o Último ou o Princípio e o Fim., diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.

Cristo revela-se a João

9Eu sou João, vosso irmão, e participo convosco nas mesmas perseguições no reino de Deus e na perseverança por Jesus. Encontrava-me na ilha de Patmos1,9 Patmos. Pequena ilha do mar Egeu para onde os romanos exilavam as pessoas que julgavam politicamente indesejadas. por ter proclamado a palavra de Deus e o testemunho de Jesus. 10O Espírito de Deus apoderou-se de mim, no dia do Senhor, e eu ouvi atrás de mim uma voz forte que parecia a voz duma trombeta. 11Dizia assim: «Escreve num livro aquilo que vais ver, e manda-o às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia.» 12Voltei-me para ver quem é que me falava e, ao voltar-me, vi sete castiçais de ouro1,12 Sete castiçais. Representam as sete igrejas a quem o autor escreveu. Ver 1,20.. 13E no meio dos castiçais estava alguém semelhante ao Filho do Homem vestido até aos pés com uma túnica comprida e uma faixa dourada à volta do peito. 14A sua cabeça e os seus cabelos eram brancos como a lã ou como a neve e os seus olhos eram ardentes como o fogo. 15Os seus pés brilhavam como bronze fundido na fornalha e a sua voz era como o ruído das grandes cascatas1,15 Para os v. 13–15, ver Dn 7,13; 10,5; 7,9; 10,6.. 16Na sua mão direita tinha sete estrelas; da sua boca saía uma espada de dois gumes muito afiada e o seu rosto brilhava como o sol do meio-dia.

17Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Mas ele pôs a sua mão direita em cima de mim e disse: «Não tenhas medo! Eu sou o primeiro e o último1,17 Para os v. 16–17, ver Is 49,2; Hb 4,12; Is 44,6; 48,12.. 18Eu sou aquele que está vivo! Estive morto, mas agora vivo para sempre. Eu tenho poder sobre a morte e sobre o mundo dos mortos. 19Escreve pois aquilo que viste, o que está a acontecer agora e o que vai acontecer mais tarde. 20O significado das sete estrelas que viste na minha mão direita e dos sete castiçais de ouro é o seguinte: as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais são essas sete igrejas.»