21 - A Lei e a Terra - LISTA DOS 10 +

A LEI E A TERRA
Agora, que os Israelitas foram libertos da escravidão do Egito, o seu principal objetivo é encontrar um território onde se possam estabelecer como nação. O território sempre foi uma questão importante para o povo Judeu, não apenas, porque, queriam um lugar ao qual chamar seu, mas, também, porque Deus o tinha prometido. A procura da Terra Prometida é o motivo das próximas cinco leituras. Há quem diga que, “A viagem é mais importante que o destino.” Talvez haja alguma verdade nisto para os filhos de Israel, porque Deus fez coisas incríveis, enquanto vaguearam pelo deserto. Já vimos como Deus dividiu o Mar Vermelho e destruiu o exército Egípcio. Agora, vamos ver o poder de Deus sobre o Monte Sinai e a entrega dos Dez Mandamentos, vamos vê-lo separar o rio Jordão e dar uma vitória militar, extraordinária, aos Israelitas em Jericó. Quando entram na Terra Prometida, os Israelitas estão a viver um momento de, verdadeiro, impulso.

Há um tema importante, transversal às leituras, a que deves ter atenção. Os sucessos de Israel, não foram devidos ao seu grande exército, a uma estratégia eficaz ou à boa sorte. Foram o resultado da sua disponibilidade para ou-vir e obedecer a Deus. Tão simples quanto isso. Foram precisos muitos anos para Moisés aprender a lição, mas quando, por fim, conseguiu Deus usou-o verdadeiramente. Josué teve a vantagem de poder observar Moisés, por isso, aprendeu a lição mais depressa. A chave para o crescimento e para a eficácia na vida cristã, é cultivar a disponibilidade e a capacidade para ouvir a Palavra de Deus e praticá-la. Estas leituras perspetivam algumas nuvens escuras no horizonte do povo es-colhido. O bezerro de ouro foi a primeira experiência, direta, de Israel com a idolatria. Vão ter de lutar contra essa tendência destrutiva, ao longo de todo Antigo Testamento. No final, isso afasta-os de Deus e traz um castigo terrível. Mas, também, realça a sua necessidade de um Messias, um Salvador, e é disso de que trata o Novo Testamento.

ORAÇÃO
Obrigado por tornares clara, na tua Palavra, a forma como de-sejas que eu viva. Ajuda-me, hoje, a ler e a compreender com o meu coração.

Texto (s) da Bíblia

REFLEXÃO

As pessoas gostam de argumentar acerca dos Dez Mandamentos. Que relevância têm, hoje em dia? Será que a vida pode ser, apenas, a preto e branco? Não será uma lógica demasiado simplista?

Mas, em todos os argumentos, a maioria das pessoas, passa ao lado do ponto mais importante. Os Dez Mandamentos não são, apenas, uma lista de “Podes” e “Não podes”. Talvez, uma religião prescrita desta maneira fosse o que muita gente queria. Mas, Deus não está a tentar começar uma religião; está a tentar construir um relacionamento com o seu povo (19:4-6).

Podemos dividir os mandamentos em três grupos. Os quatro primeiros mandamentos centram-se no nosso relacionamento com Deus: Existe um único Deus (20:3) e ele alerta-nos a não aceitar substitutos (20:4-6); Não deveremos referir-nos a ele de uma forma vulgar, ou ofensiva (20:7); E devemos honrá-lo e louvá-lo regularmente (20:8-11). Sendo, ele, o Soberano Criador de todas as coisas, é o mínimo que pudemos fazer.

Os mandamentos do segundo grupo centram-se no nosso relacionamento com os outros. Antes de podermos amar “todas as pessoas”, precisamos de começar por amar aqueles que nos estão mais próximos: os nossos pais (20:12) e os nossos cônjuges (20:14). O padrão que desenvolvermos nestes relacionamentos irá afetar todos os restantes. O desafio que se segue, é sermos verdadeiros para com o nosso próximo (20:16) — mais fácil dizer do que fazer, num mundo de manipulação e transigência. Por essa razão, é um alívio que haja, pelo menos, um mandamento “fácil” (20:13). Exceto, que para Jesus, não foi tão fácil assim (Mateus 5:21-22).

Finalmente, no terceiro grupo, Deus preocupa-se com a relação que temos com as coisas. A disposição para roubar (20:15) começa quando não nos satisfazemos com aquilo que temos (20:17). O desejo de ter cada vez mais é um motivador for-te, que pode afastar-nos de Deus (1 Timóteo 6:6-10). Se houvesse mais pessoas a ter um relacionamento correto com Deus, com os outros e com as coisas, o mundo seria, realmente, um lugar diferente. Não admira, que as pessoas prefiram argumentar acerca dos Dez Mandamentos, em vez de, simplesmente, obedecer-lhes.

APLICAÇÃO

Quais são as coisas que podem melhorar ou deteriorar o teu relacionamento com Deus? Quais dos mandamentos gostavas de praticar esta semana?

ORAÇÃO

Senhor, quero mesmo conhecer-te melhor. Por favor, ajuda-me a preocupar-me com as coisas que são importantes para ti. E obrigado por me amares e perdoares quando falho.