46 - Os Profetas - O SERVO SOFREDOR

OS PROFETAS
De que te lembras quando alguém diz: “Este é um profeta do nosso tempo”? Num fundamentalista de cabelos compridos, com um cartaz a dizer: O FIM ESTÁ PRÓXIMO? Num comentador perspicaz em assuntos sociais? Numa figura solitária que luta, corajosamente, contra a injustiça, através da desobediência civil?

De certa forma, os Profetas da Bíblia eram tudo isto. Avisavam acerca do julga-mento que havia de vir, escreviam críticas à sociedade e, como resultado, eram forçados a tomar posição contra os poderosos dos seus dias. Mas, há outra coisa importante acerca dos profetas bíblicos, que os distingue: eles falavam por Deus (2 Pedro 1:20-21). E foi isso que lhes conferiu o seu grande poder.

Até agora, temos lido, maioritariamente, narrativa histórica, com alguma poesia e provérbios, na última secção. Mas, as próximas cinco leituras apresentam-nos um novo género de escrita bíblica. A profecia. O Antigo Testamento inclui 16 livros proféticos e existem diferentes formas de os classificar. A forma mais comum é de acordo com a sua extensão: os Profetas Maiores (Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel) e os Profetas Menores (os restantes 12 livros do Antigo Testamento com os nomes esquisitos!).

Outra forma de os dividir é m a sua relação com um determinado evento histórico importante: a derrota de Israel e o exílio na Babilónia. Se um profeta foi “pré-exílio” (tal como Oseias, Joel ou Amós), a sua tendência era centrar-se na denúncia do pecado e anunciar a vinda do Dia do Senhor. Se fosse “pós-exílico” (tal como Ageu ou Zacarias), centrava-se na esperança e restauração do povo de Deus quebrantado. Alguns profetas, os que viveram mais tempo, estiveram ativos antes e depois do exílio e os seus escritos abrangem ambos os temas (como Isaías).

Outro aspeto fascinante dos livros proféticos é a história de vida dos próprios profetas. Como era ser profeta? Vamos ler as histórias pessoais dramáticas de três deles: Jeremias, Daniel e Jonas. Como verás, ser um profeta é um trabalho duro e ingrato.

Há ainda outra característica, nos livros proféticos, que devemos ter em atenção: muitas vezes, apontam para a vinda de um Messias, um Salvador que ha-via de aparecer muitos anos mais tarde. Vamos encontrar muitas referências como esta, mas, a mais condensada encontra-se em Isaías 52:13-53:12, como iremos ver nas nossas leituras.

Os livros proféticos são apaixonantes, diretos e muito relevantes para o nosso mundo atual. Prepara-te para seres desafiado!

ORAÇÃO
Senhor, torna-me receptivo à mensagem específica que tens para mim hoje.

Texto (s) da Bíblia

REFLEXÃO

No que toca aos Profetas do Antigo Testamento, Isaías é um peso pesado! O seu livro de profecias é, não somente o mais longo, como, também, o mais citado no Novo Testamento. O ministério de Isaías sobreviveu a vários reis (Isaías 1:1), tanto antes como depois do exílio, e os seus escritos, cobriram em extensão dois gran-des temas da profecia do Antigo Testamento — aviso e julgamento (capítulos 1-39), esperança e salvação (capítulos 40-66).

A leitura de hoje, vem da metade esperançosa de Isaías e refere-se a um tempo em que o povo de Deus estava a precisar, imenso, de esperança. Como viemos a descobrir, a idolatria e o pecado de Israel, trouxeram um castigo terrível (2 Reis 25). E, pior do que isso, agora, temiam que Deus tivesse desistido deles completa-mente (Salmos 74:1, 9). Mas, Deus inspirou Isaías com uma mensagem de esperança, tão relevante hoje em dia, como o foi há treze séculos atrás.

Deus salvará o seu povo (Isaías 51:1-52:12) Enquanto o povo definhava no exílio Babilónico, Isaías apontava para a perspetiva global, para o que Deus tinha feito pelo povo no passado (51:1-2). É por aí que deves começar, quando percebes que te desviaste de Deus. A seguir, Isaías enfatizou a disponibilidade e o poder de Deus para salvar. Quando estragamos tudo, pode ser difícil acreditar, mas, a verdade é que Deus gosta, quando os pecadores voltam para ele (Lucas 15:11-32). Isto, são Boas Novas para o povo de Deus, naquela altura e agora (52:7).

Deus enviará um Salvador (Isaías 52:13-53:12) A coisa mais incrível nesta secção, (além do facto de ter sido escrita 800 anos antes de Cristo!) é a descrição do tipo de salvador que Deus iria enviar. Não um poderoso conquistador militar, mas um servo sofredor, ferido e trespassado pelos nossos pecados (53:5). A única forma de sermos salvos, de nos livrarmos do problema do pecado, era se alguém fosse castigado por nós. E foi, exatamente, isso que Jesus fez na cruz.

APLICAÇÃO

Existem áreas na tua vida em que estás a perder a esperança? De que forma esta passagem te ajuda? Como descreverias a “perspetiva global” de Deus para ti?

ORAÇÃO

Senhor Jesus, obrigado por morreres por mim. O teu amor é tão incrível! Louvo-te com todo o meu coração.