77 . As viagens de Paulo - PARTILHAR JESUS

ORAÇÃO
Deus, anseio por caminhar mais íntimamente contigo. Mostra-me como posso dar mais um passo em direção a ti, ao refletir, hoje, na tua Palavra.

Texto (s) da Bíblia

REFLEXÃO

Durante muitos anos fiz visitas prisionais. Organizávamos eventos evangelísticos e estudos bíblicos para os reclusos. Por vezes, isso incomodava os guardas prisionais. “Podem fazer reuniões para os que já são cristãos” – diziam-nos. “Mas não queremos que nos convertam”. No mundo moderno, isto é uma grande ofensa. Mas, tal como vemos na leitura de hoje, Deus comissionou Barnabé e Saulo para fazerem, exatamente, isso (13:2; ver também Mateus 28:18-20). Podemos dar-lhe outro nome mas, a missão da Igreja é partilhar as Boas Novas.

Apesar disso, não temos o direito de enfiar o evangelho pela garganta das pessoas abaixo. Repara na diplomacia que Paulo usou ao longo desta mensagem (13:16-43). Não se afastou das duras verdades do evangelho, mas apresentou-as de uma forma que respeitava a sua audiência mista (13:26) e que enfatizava o que era positivo (13:32, 38-39). Esta combinação produz resultados (13:42-44).

Contudo, também cria problemas. Ao longo desta empolgante viagem missionária, vemos um misto de resultados incríveis e oposição violenta. Paulo e Barnabé estavam a roubar “tempo de antena” aos líderes religiosos, que ficaram com in-veja (13:45). Mas a oposição tinha um motivo, ainda, mais profundo (14:2). Tornar–se cristão, não faz com que as pessoas fiquem com uma mentalidade fechada— mas, recusar-se a ver a verdade, sim.

Mas, existiram, ainda, dois fatores que fizeram de Paulo uma testemunha tão eficiente. O primeiro foi coragem (14:19-20). Podes nunca ter de enfrentar uma multidão enraivecida por causa da tua fé, mas, provavelmente, terás de correr alguns riscos. E, quando o fizeres, para além dos outros ouvirem as Boas Novas, vais ganhar um relacionamento mais profundo com Deus. O segundo foi prestação de contas. Paulo foi enviado pela Igreja e prestava-lhe contas do que tinha acontecido (13:1-3; 14: 26-28). O propósito do evangelismo é edificar a Igreja de Cristo e não a nossa reputação.

APLICAÇÃO

Que risco está Deus a pedir que corras para poderes partilhar as Boas Novas com as outras pessoas?

ORAÇÃO

Senhor, não me sinto um bom “missionário”, mas estou disposto a partilhar as Boas Novas com os outros. Por favor, dá-me a coragem para correr riscos para ti, hoje.