“Paz seja convosco”

Nenhum de nós viveu uma pandemia. O facto de sermos cristãos não nos torna imunes ao mal, ao perigo e à própria morte. A fé não é um passo no escuro, mas um exercício responsável e racional, com a certeza de que Deus tem todo o poder para alterar circunstâncias e proporcionar a própria cura.

A Bíblia relata acontecimentos que envolvem pessoas que por terem ficado em casa, com alegria e total confiança em Deus, conseguiram obter proteção e vitória.

Noé passou um ano dentro de Arca com a sua família e um jardim zoológico ao seu cuidado, mas conseguiu sobreviver ao Dilúvio e repovoar a terra.

Na celebração da primeira Páscoa, os israelitas foram alertados para não ultrapassarem o limiar da porta naquela noite em que os primogénitos dos egípcios foram mortos (Ex 12:22). O sangue de cordeiro que marcava a verga e as umbreiras da porta das casas dos israelitas representava o sacrifício expiatório do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Invoquemos o Nome do Senhor com a certeza de que “o sangue de Jesus, Seu Filho, purifica-nos de todo o pecado” (1 Jo 1:7).

No domingo da ressurreição, os discípulos estavam atemorizados e fechados no Cenáculo, mas o Senhor Jesus apareceu no meio deles e disse-lhes: “Paz seja convosco!” (João 20:19) e, para os tranquilizar, repetiu esta saudação (Jo 20:21). No domingo seguinte, já depois de terem visto o Cristo ressurreto, os discípulos continuaram fechados no Cenáculo e Jesus voltou a apresentar-se no meio deles, repetindo as mesmas palavras: “Paz seja convosco!” (Jo 20:26).

Neste tempo de recolhimento que possamos reaprender a intimidade do relacionamento com Deus e redescobrir a simplicidade do estudo das Escrituras.

Neste tempo de incerteza em que as portas dos templos estão temporariamente encerradas, façamos do nosso lar um local de custo doméstico.

O Senhor quer entrar na nossa casa e saudar-nos da mesma forma: “Paz seja convosco!”

 

 

 

 

Motivos de oração:

  • Metade da população do planeta está de quarentena e continuamos confinados no conforto do nosso lar, por isso coloquemos na presença de Deus todas as pessoas que vivem nos países mais pobres e não têm habitação condigna nem cuidados de saúde e todas as outras que são obrigadas a sair de casa para ir trabalhar, garantindo-nos os bens e serviços essenciais.
  • Demos graças a Deus sempre que lavarmos as mãos, tomarmos banho ou bebermos um copo de água. Lembremo-nos de que uma em cada três de pessoas no mundo não tem acesso a água potável nem a saneamento básico.
  • Oremos para que os governantes e todas as autoridades sejam revestidos de sabedoria e misericórdia.
  • Imploremos por todos os profissionais de saúde e pelas pessoas que têm um sistema imunológico fragilizado, pelos idosos e vulneráveis.
  • Intercedemos por aqueles que estão demasiado ansiosos. O medo paralisa e consome a alma, roubando-nos a capacidade de cuidar dos outros durante uma crise global.
  • Fiquemos em casa. Quando no futuro for relembrado o Ano da Graça de 2020 que possa ficar registado que os cristãos ficaram em casa, lavaram as mãos e ajoelharam-se humildemente, implorando pela misericórdia de Deus.

 

João Pedro Martins
(Desafio Miqueias)

Sociedade Bíblica de Portugal
Rua José Estêvão, 4-B,
1150-202 Lisboa,
Telefone: (+351) 213 545 534
info@sociedade-biblica.pt
www.lojadabiblia.pt
A SOCIEDADE BÍBLICA DE PORTUGAL Desde 1809 a operar em Portugal, a sua missão é Levar a Bíblia às pessoas e trazer as pessoas à Bíblia! Integra as Sociedades Bíblicas Unidas que atuam em mais de 200 países.
Google Playstore

Apple Appstore