a BÍBLIA para todos Edição Comum (BPT)
1

Saudação

11Da parte de Paulo e de Timóteo, servos de Cristo Jesus, dirigimo-nos a todos os santos em Cristo Jesus que vivem na cidade de Filipos1,1 Filipos. Importante cidade grega situada na região da Macedónia., com os seus bispos e diáconos1,1 Diácono. Nome que se usava no cristianismo primitivo para designar as pessoas que se encarregavam da assistência aos pobres e doentes.. 2Que Deus, nosso Pai, e Jesus Cristo, nosso Senhor, vos concedam graça e paz.

Oração pelos crentes

3Dou graças ao meu Deus, sempre que me lembro de vós, 4Eu faço sempre com alegria menção de vós em todas as minhas orações 5pela maneira como tomaram parte comigo na proclamação do evangelho, desde o primeiro dia até agora. 6Estou convencido de que Deus, que convosco começou a sua boa obra, continuará a aperfeiçoá-la até ao dia de Cristo Jesus. 7É justo que eu tenha estes sentimentos a vosso respeito pois vos trago a todos no coração, por tomarem parte comigo na missão que Deus me confiou, tanto na minha prisão1,7 Não se sabe a que prisão Paulo se refere. Pergunta-se se será Roma, Éfeso ou Cesareia. como na defesa e proclamação do evangelho. 8Deus é testemunha de que vos amo a todos, e o amor que vos tenho vem do próprio coração de Cristo Jesus.

9O que eu peço a Deus é que o vosso amor cresça cada vez mais com sabedoria e entendimento, 10para que saibam escolher o que é melhor. Assim, terão uma vida digna e irrepreensível para o dia da vinda de Cristo. 11Será uma vida cheia de boas ações que Jesus Cristo realiza em vós para glória e louvor de Deus.

Viver em Cristo

12Meus irmãos, quero que saibam que aquilo que me aconteceu até contribuiu para o progresso do evangelho. 13Pois toda a guarda do palácio do governador e todos os demais sabem que eu estou na prisão por seguir a Cristo. 14E a maior parte dos irmãos, por verem que estou preso, encheram-se de confiança no Senhor e têm mais coragem para anunciar a palavra de Deus.

15É certo que alguns anunciam a Cristo por terem inveja e rivalidade, mas outros fazem-no com boa intenção. 16Uns fazem-no por amor, sabendo que tenho por missão a defesa do evangelho; 17outros anunciam Cristo por espírito de competição e sem sinceridade. Querem aumentar os meus sofrimentos agora que estou preso. 18Mas que importa? Seja com fingimento, seja com sinceridade, Cristo é anunciado. E isso é que me dá alegria. E continuarei a sentir alegria, 19pois sei que tudo isto contribuirá para a minha libertação graças às vossas orações e à ajuda que vem do Espírito de Jesus Cristo. 20O meu grande desejo e esperança é que não venha a ser envergonhado, mas que agora, tal como tem sido sempre, eu tenha coragem para mostrar a grandeza de Cristo em mim próprio, seja pela vida seja pela morte. 21De facto, para mim o viver é Cristo e o morrer é ganho. 22Mas se o continuar a viver é útil para o meu trabalho, então não sei o que hei de escolher. 23Estou pressionado de ambos os lados: tenho o desejo de partir e de estar com Cristo, o que seria incomparavelmente melhor; 24mas, por vossa causa, é mais necessário continuar a viver. 25Como tenho a certeza disso, sei que vou ficar convosco para vos ajudar todos a progredirem na alegria da fé. 26Assim, quando eu vos for visitar outra vez, sentirão por minha causa motivo de maior satisfação em Cristo Jesus.

27Procurem, sim, comportar-se de maneira digna do evangelho de Cristo. Quer eu vá ter convosco e vos veja, quer esteja ausente e receba notícias, o que desejo é que permaneçam firmes e unidos, lutando todos juntos pela fé do evangelho. 28Não tenham medo dos inimigos. Isso será para eles sinal de perdição e para vós sinal de salvação. Tudo vem de Deus. 29Pois Deus vos concedeu o privilégio não só de crer em Cristo mas também de sofrer por ele. 30Agora, como sabem, tomam parte no combate comigo, no mesmo combate que me viram sustentar e que ainda continua.

2

Humilhação e glória de Cristo

21Portanto, se algum encorajamento, alguma consolação de amor, alguma comunhão do Espírito, alguns entranhados afetos e sentimentos de compaixão resultam da nossa união com Cristo, 2então peço-vos que me deem a grande satisfação de viverem em harmonia. Estejam unidos pelo mesmo amor numa só alma e nos mesmos sentimentos. 3Não façam nada por ambição pessoal nem por orgulho, mas, com humildade, considerem os outros superiores a vós próprios. 4Que ninguém procure apenas o seu interesse, mas também o dos outros. 5Tenham os mesmos sentimentos que havia em Cristo Jesus2,5 Outra tradução: Comportai-vos bem uns para com os outros, como deve acontecer com aqueles que estão em Jesus Cristo.:

6Ele, que por natureza era Deus,

não quis agarrar-se a esse direito

de ser igual a Deus.

7Pelo contrário, privou-se do que era seu

e tomou a condição de escravo,

tornando-se igual aos homens.

E, vivendo como homem,

8humilhou-se a si mesmo,

obedecendo até à morte, e morte na cruz.

9Por isso, Deus elevou Jesus acima de tudo

e lhe deu o Nome que está acima de todo o nome;

10para que ao nome de Jesus se dobrem todos os joelhos:

no Céu, na Terra e debaixo da terra2,10 A expressão designa o mundo dos mortos.;

11e para que todos proclamem, para glória de Deus Pai:

Jesus Cristo é o Senhor2,11 Os v. 6–11 reproduzem, provavelmente, um hino antigo dos cristãos.!

Ser luz para o mundo

12Portanto, meus irmãos, como sempre me obedeceram quando eu aí estava, obedeçam-me ainda mais agora que estou ausente. Trabalhem pela vossa salvação com temor e tremor, 13pois Deus está sempre a ajudar, fazendo com que desejem e realizem o que é da sua vontade. 14Façam tudo sem murmurações nem contendas 15para que sejam pessoas retas e dignas, filhos de Deus irrepreensíveis no meio de gente corrompida e perversa. Devem brilhar no meio dessa gente como estrelas no céu, 16levando-lhes a mensagem da vida. Desse modo, no dia de Cristo, eu poderei sentir-me satisfeito convosco, sabendo que não me esforcei nem trabalhei em vão.

17Ainda que a minha vida tenha de ser oferecida como vítima de sacrifício, para juntar à vossa oferta de fé a Deus, eu sinto prazer nisso e compartilho essa alegria convosco. 18Da mesma maneira, sintam igual prazer e tomem parte na minha alegria.

Paulo envia os seus colaboradores

19Espero no Senhor enviar-vos brevemente Timóteo, para também eu ficar cheio de ânimo quando tiver notícias vossas. 20Não tenho nenhum outro tão unido a mim e que assim se preocupe tanto convosco. 21Todos os outros se preocupam apenas com os seus interesses e não com os de Jesus Cristo. 22Mas quanto a Timóteo, bem sabem como deu provas da sua virtude e como trabalhou comigo ao serviço do evangelho, como se fosse um filho com o seu pai. 23Espero enviá-lo, logo que saiba como vai terminar a minha situação. 24Confio no Senhor que também eu irei ver-vos brevemente.

25Julguei que também era conveniente mandar-vos Epafrodito2,25 Epafrodito. Delegado da igreja de Filipos junto de Paulo como se vê em 4,15–18., irmão e companheiro de trabalho e de lutas, vosso enviado para me ajudar nas minhas necessidades. 26Ele tem tido muitas saudades de todos e tem andado preocupado convosco, por terem ouvido que ele estava doente. 27É verdade que esteve doente, mesmo quase a morrer, mas Deus compadeceu-se dele, e não só dele mas também de mim, para que eu não tivesse mais aflições do que as que já tenho. 28E por isso vou mandá-lo o mais depressa possível, para que sintam a alegria de o verem novamente e para que eu fique menos preocupado. 29Recebam-no, pois, com toda a alegria como um irmão no Senhor e estimem os que são como ele. 30Esteve quase a morrer ao serviço de Cristo, arriscando a sua própria vida para me prestar o auxílio que me faltava da vossa parte.